Vídeo mostra as duas adolescentes caminhando para o local da execução

US - R$ 4,34

×

Vídeo mostra as duas adolescentes caminhando para o local da execução

A jovem encontrada nesta sexta-feira, 07, estava seminua boiando às margens de um igarapé. Um vídeo registra o momento em que ela e a amiga são levadas ao 'tribunal do crime'

(Divulgação)

Quase seis horas depois do corpo da adolescente Sigrid Libório de Santana, de 13 anos, ter sido localizado, na tarde de quinta-feira, 06, boiando em um igarapé, os moradores do bairro Educandos, na zona Sul de Manaus, também encontraram a amiga dela, Thayssa Karolayne da Silva, de 14 anos, morta e seminua.

O cadáver  foi encontrado por volta das 20h na mesma área onde Sigrid estava, às margens do igarapé da rua Nova, no bairro Educandos, onde Sigrid foi encontrada morta com sete tiros.

Veja também: 

Pais são presos por estuprar e matar filha de três meses

Bebê de dois anos é sequestrado e família pede apoio para encontrá-lo

De acordo com moradores, o corpo boiou próximo a um barco, onde teria começado uma movimentação intensa de curiosos.

(Divulgação)

As adolescentes estavam desaparecidas desde 3h da madrugada de quinta-feira, 06. Os familiares de Sigrid não quiseram gravar entrevista, mas confirmaram à polícia que a adolescente era usuária de drogas e envolvida com uma facção criminosa rival à Família do Norte (FDN), denominada Comando Vermelho (CV).

Veja também:

Corpo de adolescente de 13 anos é encontrado no igarapé do Educandos

Recém-nascida é abandonada dentro de mochila em condomínio

A jovem mexia no celular com a amiga em frente a residência de Thayssa, quando elas sumiram misteriosamente. Os parentes da jovem negaram o envolvimento da adolescente com grupo criminoso. Eles disseram que as garotas eram apenas amigas e moravam no bairro Colônia Oliveira Machado, na zona Sul da capital.

O sequestro

Em um vídeo que circula nas redes sociais, é possível ver o momento em que as garotas são levadas por membros de uma facção para o “tribunal do crime”, nome dado por criminosos aos julgamentos de membros do grupo que cometem alguma “infração” às “regras” da facção.

Nas imagens, um grupo de homens conduz as adolescentes para o local onde possivelmente foram mortas. O vídeo tem apenas 19 segundos e mostra um dos suspeitos com uma arma de fogo, apontando para as costas das vítimas. Confira: 

 

(*) Com a colaboração do repórter Josemar Antunes, do Amazonas1

 

 

Faça um comentário