Senadores do Amazonas usam R$ 356,2 mil de cota parlamentar durante pandemia - Amazonas1

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

9 de agosto de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

redacao@amazonas1.com.br

Senadores do Amazonas usam R$ 356,2 mil de cota parlamentar durante pandemia

O levantamento mostra que de janeiro a julho deste ano, o senador Eduardo Braga, liderou os gastos da cota com R$ 187,1 mil

Senadores do Amazonas usam R$ 356,2 mil de cota parlamentar durante pandemia
Foto: Reprodução

No primeiro semestre de 2020, os três senadores do Amazonas usaram cerca de R$ 356,2 mil da Cota para Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap). O gasto é 56,6% menor que o mesmo período do ano passado, quando Omar Aziz (PSD), Eduardo Braga (MDB) e Plínio Valério (PSDB) consumiram R$ 821,2 mil do benefício.

A maior parte dos gastos dos senadores do Estado foi com serviços de apoio parlamentar e passagens. Com essas despesas, o trio do Amazonas desembolsou mais de R$ 326 mil.  Os dados foram apurados pelo Portal AM1 no Portal da Transparência do Senado Federal.

Leia mais: Deputados federais do AM gastaram mais de R$ 1,1 milhão do Cotão em 2020

O site mostra que de janeiro a julho deste ano, o senador Eduardo Braga liderou os gastos com R$ 187,1 mil. Desse total, R$ 167,5 mil foram destinados para pagamento referentes à “contratação de serviços de apoio ao parlamentar”. Já outros R$ 19,6 mil foram usados com passagens.

No ano passado, o líder do MDB no Senado declarou ter usado R$ 321 mil com os mesmos serviços.

Leia mais: Vereadores de Manaus usam mais de R$ 2,7 milhões do Cotão em meio à pandemia

Em seguida, aparece Plínio Valério, que consumiu R$ 130,8 mil da cota parlamentar, nos sete primeiros meses de 2020. O site mostra que o senador destinou cerca de R$ 92,7 mil a serviços de apoio ao parlamentar. Uma média de R$ 15 mil por mês.

Também aparecem gastos de R$ 20 mil para “aluguel de imóveis para escritório político”; R$ 8, mil com passagens; R$ 7,2 mil com “divulgação de atividade parlamentar” e R$ 2,4 mil com “locomoção, hospedagem, alimentação, combustíveis”.

Já o senador Omar Aziz registou, até agora, um único gasto no valor de R$ 38,2 mil com passagens. A cifra é bem diferente do mesmo período de 2019, quando o parlamentar consumiu R$ 115 mil com o mesmo serviço.

Leia mais: Prefeitos do AM já contrataram mais de R$ 275 milhões antes da proibição eleitoral

Por conta da pandemia, o Senado implementou, no mês de abril, as sessões remotas a fim de evitar a proliferação do novo coronavírus. Com isso,  despencaram os custos com passagens aéreas usadas pelos parlamentares para se deslocar até Brasília. A economia chegou a 91%, o que equivale a R$ 4,13 milhões.

Além de ser usada para locomoção dos senadores e serviços de apoio parlamentar, a Ceap é destinada para pagamentos de aluguel de imóveis para escritório, material de consumo, hospedagem, alimentação, combustíveis, contratação de serviços de apoio parlamentar, divulgação da atividade parlamentar e segurança privada.

Amazonas1 TV

Publicado por Amazonas1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading