Prefeito de Manicoré vai pagar R$ 17,6 milhões para empresa multada pelo TCE

Valor milionário é referente a dois contratos firmados nesta semana pelo prefeito Lúcio Flávio com a Plastiflex para recuperação viária nas vias da cidade
Publicado em 26/10/2021 10:19
Prefeito de Manicoré vai pagar R$ 17,6 milhões para empresa multada pelo TCE
Foto: Reprodução

Manicoré, AM – O prefeito de Manicoré, Lúcio Flávio (PSD), vai pagar mais de R$ 17 milhões para a empresa Plastiflex Empreendimentos da Amazônia – LTDA realizar diversos serviços de infraestrutura viária no município. O curioso é que estabelecimento já foi condenado a pagar multa de R$ 13 mil ao Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM).

O valor milionário é referente a dois contratos firmados nesta semana pelo gestor com a Plastiflex. Assinados no último dia 20, os documentos foram publicados no Diário Oficial dos Municípios (DOM).

Um dos contratos – o de maior valor – aponta que o objetivo da contratação é a execução de “serviços de recuperação de vias urbanas e execução de drenagem no município de Manicoré/AM”. Sem informar mais detalhes, como o nome das ruas que receberão pavimentação, este contrato tem custo total de R$ 10.309.961,20.

Já o outro, no valor de R$ 7.301.026,40, visa à “execução, sob o regime de empreitada por preço global das obras e serviços de engenharia para os serviços de terraplanagem, pavimentação e drenagem do bairro 11 de Maio, no município de Manicoré/AM” ou seja, recuperação viária em apenas um bairro vai custar mais de R$ 7 milhões.

Ambos os contratos, que, somados, totalizam R$ 17.610.987,60, terão prazo de 12 meses para serem executados.

A empresa beneficiada com o valor milionário é a Plastiflex Empreendimentos da Amazônia – LTDA, que está sediada na rua Vicente Feola, bairro Parque Dez, em Manaus, e no seu CNPJ (01.426.987/0001-73), consta “obras de alvenaria” como atividade principal. Outras atividades incluem serviços de pintura, administração de obras, entre outros.

Com capital social de R$ 2,8 milhões, os donos da empresa são os empresários Aydamo Celio Silva Bizerra Campos e Allan Sergio Silva Bizerra Campos.

Em junho deste ano, a Plastiflex foi condenada pelo TCE-AM ao pagamento de multa de R$ 13,7 mil por envolvimento em irregularidades no termo de convênio de 2007 firmado entre a Secretaria de Estado da Educação do Amazonas (Seduc) e a Prefeitura de Tapauá.

O caso envolve a Tomada de Contas Especial do Termo de Convênio nº 129/2007, de R$ 396,2 mil. O ex-secretário Gedeão Amorim foi multado em R$ 13,7 mil e o ex-prefeito de Tapauá, Almino Albuquerque, em R$ 30 mil. O objeto era o repasse de recursos para serviços de reforma da Escola Estadual Marizita e quadra poliesportiva.

Leia mais: Manicoré contrata quase R$ 4 milhões com asfaltamento em plena cheia

E não é a primeira vez que o prefeito de Manicoré escolhe a Plastiflex para fechar negócio. Há quatro meses, o Portal Amazonas1 mostrou que o gestor publicou no Diário Eletrônico um contrato de R$ 3,8 milhões para serviços de tapa-buraco, além de recapeamento e pavimentação em concreto.

O Portal Amazonas1 procurou a Prefeitura de Manicoré para obter mais detalhes da contratação milionária. Porém, não houve retorno até a publicação da matéria; espaço segue aberto para posicionamentos.

Acompanhe em tempo real através das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS