MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

TCE aceita denúncia contra Chico do Belo por falta de transparência em Anamã

Representação mostra que não estão disponíveis para consulta, no site, os contratos e licitações dos sete primeiros meses de 2021
Hellen Miranda – Portal AM1
• Publicado em 04 de agosto de 2021 – 18:18
Foto: reprodução

ANAMÃ, AM- A total ausência de transparência e informações sobre os gastos com contratos e licitações feitos pela Prefeitura de Anamã, administrada por Chico do Belo (PSC), virou alvo de uma representação admitida pelo presidente do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), Mário de Mello, na última segunda-feira (2). Segundo a denúncia, há mais de um ano o Executivo Municipal não publica no Diário Oficial dos Municípios os processos licitatórios e nem contratos realizados pela atual gestão.

A denúncia sustenta que, nesse período, foram feitas quase 300 publicações da prefeitura no site, todavia, nenhuma referente às contratações e licitações. Também mostra que na pasta de Anamã no Portal de acesso à informação e Transparência dos Municípios do Amazonas não há atualização dos atos de Chico do Belo no primeiro semestre de 2021.

“O que evidencia o desrespeito desta prefeitura com o contribuinte, chegando a publicar em março deste ano informações atrasadas de um contrato firmado em 2020”, diz trecho da representação aceita no Tribunal de Contas.

De acordo com o documento, além da demora na divulgação, o termo de contrato nº001/2020 ainda é passível de questionamentos. Entre eles, a contratação de uma empresa de material de construção para fornecer passagens fluviais e o serviço de fretamento a fim de atender as secretarias municipais.

Com esse contrato, Chico do Belo está pagando o valor global de R$ 832 mil do bolso dos moradores de Anamã. A garantia foi dada por uma Ata de Registro de Preço, válida por 12 meses. O contrato foi assinado pelo prefeito em fevereiro de 2020, porém, a sua publicidade só apareceu mais de um ano depois, em março de 2021.

Empresa faz-tudo’

Portal AM1 constatou no site da Receita Federal que a empresa N E M COMERCIO DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE MAO DE OBRAS LTDA de CNPJ Nº 19.010.995/0001-08 tem sede no bairro Parque 10, em Manaus. Com o nome fantasia de ‘Souza Comércio e Serviços’, ela tem como atividade econômica principal o ‘comércio de materiais de construção’ em geral e outras 47 secundárias.

Ainda segundo o site, a empresa tem capital social de R$ 2,5 milhões e possui apenas uma proprietária, identificada como Nara Souza de Souza.

Cabide de emprego

A representação admitida pelo presidente do TCE pede que a Corte de Contas questione as razões pela falta de publicidade dos atos da Prefeitura de Anamã que deveriam ser públicos. A denúncia destaca, ainda, que além de omissa, a administração de Chico do Belo emprega parentes no Executivo Municipal, transformando Anamã em um cabide de emprego para filhos, irmãos, primos e sobrinhos.

Vale ressaltar que o prefeito agraciou o filho, Ruam Bastos, com cargo de chefia na Prefeitura de Anamã. Ele atua como secretário Municipal de Economias e Finanças, além de ser responsável pelas Contas do Fundo Municipal de Assistência Social e de Saúde de Anamã.

E por “dar de presente” duas secretarias municipais ao filho, Chico do Belo foi denunciado por improbidade administrativa no ano passado pelo Ministério Público. Ele foi acusado de nepotismo e alvo de pedido de suspensão dos direitos políticos por até cinco anos.

Leia mais: MP denuncia prefeito de Anamã por nepotismo e pede suspensão dos direitos políticos

No documento, o promotor de Justiça, Klepter Antony Neto, destaca que, além de ser parente do prefeito, o secretário não possui qualquer qualificação para o exercício dos cargos públicos.

“A eventual alegação de que os cargos de secretário municipal possuem natureza de cargos políticos e que, portanto, não estariam submetidos à Súmula Vinculante n.º 13, também não pode ser acolhida no caso concreto. Ainda que assim não se entendesse, o que somente se admite por amor ao debate, em julgados recentes – mesmo para cargos de natureza política – entende-se haver a necessidade de demonstração de capacidade técnica do nomeado”, explicou o promotor.

Para o representante do MP, as nomeações irregulares de Ruam Bastos tiveram clara intenção de privilegiá-lo, infringindo os princípios da legalidade, moralidade, impessoalidade, isonomia e eficiência, gerando seu enriquecimento ilícito.

Tudo em família

Após denúncia envolvendo o filho, o Portal AM1 recebeu, em março deste ano, novas acusações e indícios de que, pelo menos, outros três parentes de Chico do Belo trabalham na Prefeitura de Anamã. A lista inclui sobrinha e primos; confira quem são eles:

Leia mais: Tudo em família: além do filho, Chico do Belo nomeou mais parentes na Prefeitura de Anamã

O prefeito Chico do Belo também conseguiu eleger até um parente para Câmara Municipal de Anamã nas últimas eleições. No entanto, a vereadora eleita Jessica Conegundes está sendo alvo de um pedido de cassação do Ministério Público Eleitoral. Segundo o órgão, os indícios apontam que ela é nora do prefeito, sendo companheira de Ruam Bastos – tal situação é proibida conforme a Constituição Federal.

Leia mais: Nora do prefeito de Anamã pode ter mandato de vereadora cassado

A denúncia afirma que Jéssica se auto classificou como ‘solteira’ no registro de candidatura, mas mantém união estável com Ruam desde 2013, o que é confirmado pelo mesmo endereço da residência. Além disso, o MP usa postagens nas redes sociais para comprovar o nível de proximidade e, de fato, parentesco entre os três.

Leia mais: Nepotismo: prefeito de Anamã coloca a chave do cofre da prefeitura nas mãos do filho

A vereadora nega que tenha união estável com Ruam Bastos, e diz que são “apenas” namorados, a fim de se manter na Câmara Municipal de Anamã. A defesa afirma que o fato de ambos terem declarado que estão em um “relacionamento sério”, não autoriza a imediata conclusão de que vivem em uma união estável.

Leia mais: Para se manter no cargo, vereadora diz que é ‘apenas’ namorada do filho de prefeito de Anamã

A versão é contestada pelo promotor – que refuta a declaração da defesa da vereadora – ao tratar a relação como mero namoro. “O MP entende que existe sim relação estável entre eles, com base em todos os argumentos expostos nos autos e mantém o entendimento apresentado no recurso sobre a inelegibilidade”, afirmou Kleper Antony Neto ao Portal AM1.

No mês passado, a Justiça Eleitoral realizou a audiência com Jéssica sobre o processo de inelegibilidade. Segundo informações, o prefeito Chico do Belo e o filho Ruam Bastos, apontado como marido da vereadora Jessica, faltaram no depoimento.

Leia mais: Após tentar fugir de depoimento, vereadora de Anamã é convocada pelo TRE

A parlamentar ainda tentou fugir do depoimento, entretanto, teve o pedido de não depor na audiência virtual negado pelo desembargador eleitoral Luís Felipe Avelino Medina. Na ocasião, a defesa alegou que a vereadora encontra-se na iminência de sofrer risco à liberdade de locomoção.

Leia mais: Nora do prefeito de Anamã tem pedido negado para não depor em processo de cassação

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap