Vídeo: procuradora espancada por colega de trabalho desabafa: ‘desrespeitada como mulher’

O ataque teria sido motivado pela abertura de um processo administrativo contra o procurador por conta de sua postura no ambiente de trabalho
Da Redação – Portal AM1
Publicado em 22/06/2022 09:48
Foto: reprodução/vídeo

A procuradora-geral Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, foi agredida por Demétrius Oliveira Macedo, de 34 anos, também procurador, desabafou após o vídeo da covardia viralizar. A agressão ocorreu na tarde da última segunda-feira, (20), por volta das 16h50, dentro da Prefeitura de Registro, no interior de São Paulo. “Foi exposta a minha dignidade. Como mulher, fui desrespeitada, assim como servidora pública. Enfim, foi um desrespeito global da minha personalidade como mulher”, afirmou.

O ataque teria sido motivado pela abertura de um processo administrativo contra o procurador, por conta de sua postura no ambiente de trabalho. Gabriela é procuradora-chefe do agressor, que foi conduzido ao 1º Distrito Policial (DP) do município, onde um boletim de ocorrência (BO) sobre o caso foi registrado, mas foi liberado na sequência.

Foto: Reprodução/ Facebook

Leia mais: Criança impedida de abortar após estupro volta para mãe e juíza deixa caso

Conforme informações, a procuradora relatou que tinha medo de acontecer provocação: “Eu tinha medo, sim. Tinha medo de que fosse acontecer isso, mas não imaginava que fosse ser uma violência física, achava que fosse um ‘bate-boca’, uma discussão”, destacou.

Foto: Reprodução/Internet

De acordo com o B.O, o procurador a agrediu primeiro com uma cotovelada na cabeça e continuou com socos no rosto. “Eu estava saindo da repartição quando ele veio em direção a mim, de forma violenta, e me desferiu uma cotovelada. Fui arremessada contra a parede. E ele começou a bater muito em mim, desferir muitos golpes. Socos e pontapés. Chutou muito o meu rosto”, disse a procuradora.

Em nota, a Associação Nacional dos Procuradores dos Estados e do Distrito Federal se pronunciou sobre ocaso.

Confira o momento da agressão:

A prefeitura afirma que suspendeu o procurador. O Ministério Público acompanha o caso. “Reafirmamos nosso compromisso com a prevenção e enfrentamento a todas as formas de violência, principalmente aquelas que vitimizam mulheres. Os servidores da Procuradoria Geral Municipal e da Secretaria de Negócios Jurídicos receberão todo apoio necessário, inclusive acompanhamento psicológico”, complementou.

Informações: G1

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS