US - R$ 4,13

×

Comissão confirma ida de Dantas à Assembleia nesta quarta-feira

Empresário denunciou ao MPC esquemas de corrupção em contratos de transporte da Seduc

O empresário Francisco Luiz Dantas, dono da Dantas Transportes, é esperado na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 11, às 16h, para prestar esclarecimentos sobre as denúncias de corrupção nos contratos firmados entre a sua empresa e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

De acordo com a presidente da Comissão de Educação, deputada Profª. Therezinha Ruiz (PSDB), a ida do empresário à Aleam foi confirmada pela mulher do empresário.

“A minha chefe de gabinete, a minha advogada tentaram fazer contato com ele e não conseguiram. Conseguimos falar com a esposa e pelo que ela colocou, ele viria, sim. Até o momento, o nosso entendimento é que ele virá prestar esclarecimento que serão solicitados pelos deputados”, informou Therezinha.

O principal foco dos parlamentares é esclarecer que deputados estariam envolvidos no possível esquema de corrupção nos contratos da Seduc. “Houve uma dúvida muito grande em algumas palavras colocadas por ele [Dantas] que deputados teriam interferências [nos contratos]. É importante que cada um tenha o esclarecimento, tanto deputados que se sentiram ofendidos com a população em geral”, defendeu Ruiz.

A líder do governo na casa, deputada Joana Darc (PR), afirmou que é de interesse do Executivo estadual que o empresário esclareça todas as informações apresentadas nas denúncias.

“Me parece que o empresário saiu atirando para todos os lados, e quando se atira para todos os lados, é nossa obrigação trazer os esclarecimentos. Nós vamos acompanhar, pegar ponto a ponto do que saiu na mídia e os vídeos, onde ele faz essas denúncias, para esclarecer. Porque é de nossa intenção, da Assembleia e do governo, os esclarecimentos devidos”.

Líder da minoria na Assembleia, o deputado Wilker Barreto (PHS) defende que Dantas dê nomes aos agentes públicos e políticos citados nas denúncias. Caso o empresário não compareça à Aleam, o parlamentar acredita que a solução é o Parlamento instaurar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Educação.

“Cadê os documentos? cadê as provas? cadê o dinheiro do povo? Se ele não vier, só temos um instrumento que é a CPI porque você pode impor a condução coercitiva.  Ele foi teoricamente convidado pela Aleam, mas já não fez isso de forma espontânea no MPC? que faça o mesmo na Assembleia”, declarou.

Já Dermilson Chagas (PP) acredita que o empresário deva falar sobre a “realidade dos contratos” e quem está por trás desses esquemas. “Nós precisamos saber se ele é um testa-de-ferro, se houve pagamento de propina que venha público, que ele seja transparente. Quem foi cobrar dele? Ele precisa dar nomes, esclarecer isso.  O que a Dantas representa nesse processo de transporte escolar?” questionou.

Faça um comentário