Manaus, 25 de maio de 2024
×
Manaus, 25 de maio de 2024

Cenário

Amom ataca Lula para tentar reconquistar eleitores da direita em Manaus

A estratégia, no entanto, segundo especialista, pode criar uma antipatia entre os eleitores dos políticos que não estão na disputa eleitoral.

Amom ataca Lula para tentar reconquistar eleitores da direita em Manaus

(Fotos: Reprodução/Redes sociais - @eusiuamom/Valdo Leão / Semcom/Dheyzo Lemos/Ricardo Stuckert / PR)

Manaus (AM) – Como parte de estratégia de pré-campanha eleitoral, o deputado federal Amom Mandel (Cidadania), pré-candidato a prefeito de Manaus, usou o Centro da capital para fazer críticas à gestão do atual mandatário, David Almeida (Avante), nessa quinta-feira (3). Sobrou até para o presidente Lula, que nem prefeito de Manaus é. No entanto, especialistas e diversos eleitores apontam que Amom é um jovem desinformado ou está atacando Lula para limpar sua imagem com o eleitorado da direita.

Nas imagens de um vídeo produzido por sua equipe, Amom diz que nem o presidente Lula (PT) e nem o governador do Amazonas, Wilson Lima (UB), fazem “alguma coisa” para impedir o vandalismo, a violência e o aumento da “cracolândia” na localidade e, por essa razão, o Centro de Manaus “está abandonado”.

O político também dispara que quer deixar o governador do Amazonas, o presidente Lula e o prefeito de Manaus com vergonha pela iniciativa que ele tomou em chamar as pessoas para “limpar” o Centro Histórico de Manaus.

“Você é meu convidado para transformar o Centro de Manaus por pelo menos um dia, e fazer o governo federal, o Lula, o governo estadual, o Wilson, e o prefeito de Manaus tirarem a bunda da cadeira depois que a gente vier aqui. Vamos deixar eles com vergonha”, dispara.

No entanto, após a crítica do parlamentar, especialistas e outros políticos se pronunciaram nas redes sociais para “lembrar” ao deputado federal que a cobrança não pode ser feita ao presidente da República, uma vez que a responsabilidade de cuidar do Centro da capital é do Executivo municipal, que pode ser ajudado pelo Estado também, mesmo não sendo essa uma obrigação do governo estadual.

Para o cientista político e advogado Carlos Santiago, ao tentar atingir o público de direita e ganhar seus votos de confiança, Amom pode estar criando uma antipatia com esses eleitores, uma vez que nem o governador e nem o presidente da República são candidatos a prefeito.

“Amom Mandel faz um movimento que busca o eleitorado de centro com ações ambientais, com ações coletivas envolvendo temas importantes para a cidade de Manaus […] temas excelentes, de apelo popular, porém, o pré-candidato tem, hoje, as pesquisas de opinião, votos de esquerda, de direita e de centro. Então, quando ele cita o governador e o presidente da República, pode estar errando, pois pode criar uma antipatia nos eleitores de Wilson Lima e de Lula, que não são candidatos a prefeito de Manaus”, explica.

Santiago também afirma que Amom poderia, sim, continuar abordando esses temas, mas sem envolver os nomes dos políticos que não estão na disputa, pois como deputado federal, ele poderia acionar o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), por meio de emenda parlamentar, a fim de melhorar a qualidade do centro histórico com obras de recuperação de calçadas e prédios, ações tão necessárias quanto as quais ele faz, mobilizando a sociedade para uma reflexão sobre o Centro.

Um dos eleitores disse, na publicação do deputado federal, que ele quer bater em todo mundo, mas esquece que na política é necessário ter alianças. Além disso, ressalta que não adiantaria Amom vencer as eleições e ter rejeição máxima na Câmara Municipal de Manaus (CMM).

 

(Foto: Reprodução/Redes sociais- @eusouamaom)

Assista ao vídeo:

 

LEIA MAIS: