MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Após semana de derrotas, David Reis aparece ao lado de Reizo e Sabá Reis

A gestão de Reis vem sendo criticada pela população e por vereadores da CMM, após construção de 'puxadinho' e contratação de picapes
Hellen Miranda – Portal AM1
• Publicado em 03 de outubro de 2021 – 18:20
Foto: reprodução redes sociais

Manaus, AM – Após uma semana intensa “amargando” derrotas na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o presidente da Casa, David Reis (Avante), surgiu neste fim de semana ao lado de apoiadores e aliados políticos numa feijoada beneficente.

Ao contrário de sua gestão na CMM, o presidente estava em clima de “festa” com o secretário municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), Sabá Reis e o ex-vereador de Manaus, Reizo Castelo Branco (PTB). O encontro do trio foi publicado nas redes sociais de David Reis, neste domingo (2).

Nas últimas semanas, David Reis foi duramente criticado pela população e por alguns parlamentares da Casa, após tornar público a construção de um anexo ao prédio da CMM, no valor de R$ 32 milhões.

O processo licitatório das obras do puxadinho acabou sendo barrado pela Justiça do Amazonas atendendo ação popular movida pelos vereadores Rodrigo Guedes (PSC) e Amom Mandel (sem partido).

Leia mais: CMM não responde MP sobre reajuste de prefeito, vice e vereadores

Inconformado, o presidente da CMM ainda recorreu da decisão, sustentando que o processo obedeceu todas as formalidades legais, mas o pedido foi negado pela desembargadora Socorro Guedes, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

Além das perdas judiciais que embargaram, pela segunda vez, o andamento do certame envolvendo as obras do “puxadinho”, David Reis vem cancelando outros processos de contratação. Entre eles, o das picapes, que seriam contratadas para os 41 vereadores e que teriam um custo de aproximadamente R$ 8 mil ao mês.

Segundo o despacho, à época, o presidente da CMM considerou o princípio da autotutela, a qual “permite à Administração Pública exercer controle sobre seus próprios atos, tendo a possibilidade de anular os ilegais e de revogar os irregulares ou inoportunos”.

Polêmicas

Não só a construção de um novo anexo na CMM e a contratação das picapes foram polêmicas ao longo da primeira gestão de David Reis frente à presidência da Casa.

O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) já recomendou o uso de ponto eletrônico para controle dos servidores da CMM devido a suspeitas de funcionários fantasmas, além de investigar denúncia de suposto sobrepreço em contratação de compra de café e açúcar para o Parlamento.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap