Bolsonaro convoca Menezes para explicar denúncias de irregularidades
18 de abril de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Bolsonaro convoca Menezes para explicar denúncias de irregularidades

Coronel Alfredo Menezes é suspeito de favorecer a empresa de um amigo em um contrato de manutenção predial

Bolsonaro convoca Menezes para explicar denúncias de irregularidades
Foto: Márcio Silva/Amazonas1)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recebe nesta quarta-feira, 5, no Palácio do Planalto, seu afilhado de casamento, o coronel Alfredo Menezes, a quem o presidente entregou o comando da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), para explicar as denúncias de irregularidades em licitação para manutenção predial.

De acordo com matéria veiculada no site do jornal Correio Braziliense, o assunto da pauta é sobre as denúncias de irregularidades na contratação de uma empresa pela Suframa, que foram divulgadas pelo deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM).

Veja também: Alfredo Menezes gastou R$ 14,9 milhões sem licitação em 2019

O Ministério da Economia começou a apurar uma denúncia, apresentada pelo deputado Marcelo Ramos (PL-AM), de que o militar favoreceu a empresa de um amigo em um contrato de manutenção predial, no valor de R$ 3,6 milhões. 

O coronel, além de comandar a Suframa, também é a principal liderança, no Amazonas, do Aliança pelo Brasil, partido que o presidente Bolsonaro tenta criar.

O deputado Marcelo  Ramos, no ofício 001/2020 – GAB, protocolado no ministério em 28 de janeiro deste ano, acusa o superintendente de direcionamento na contratação da Construtora Brilhante.

Segundo o parlamentar, o coronel foi superior hierárquico do dono da empreiteira no Exército. 

Veja também: ‘O Antagonista’ cita Amazonas1 e confirma Menezes presidente do Aliança no AM

Conforme a denúncia, a Suframa tinha com uma outra empresa um contrato vigente de manutenção predial com validade de 30 de julho de 2018 a 30 de julho de 2019 e pedido de aditivo para prorrogação de prazo.

Porém, relatou o deputado, o órgão decidiu, em maio do ano passado, contratar a Construtora Brilhante, após analisar duas atas de registro de preços e aderir a uma delas.

Coincidentemente, ambas eram de contratos anteriores da mesma empreiteira, segundo o parlamentar. A decisão ignorou pareceres contrários do setor de engenharia da superintendência.

O coronel Alfredo Menezes nega todas as acusações.

Veja também: TCU desmente Menezes em contrato de R$ 3,6 mi: ‘não recomendamos’

No ofício ao Ministério da Economia, Marcelo Ramos pede que seja instaurado processo administrativo “para apurar responsabilidades e definir providências e punições dos responsáveis”.

Também solicita que o caso seja encaminhado, para apuração, à Corregedora-Geral da União (CGU).

Consultado, o Ministério da Economia enviou a seguinte nota ao Correio: “O pedido de informações interposto pelo Exmo. Deputado, Sr. Marcelo Ramos (PL-AM), foi formalmente protocolado neste Ministério da Economia na data de ontem, dia 28/01/2020.

Nesse sentido, estão sendo tomadas as providências para que as indagações sejam esclarecidas pelas instâncias competentes no âmbito desta Pasta e da Autarquia vinculada e eventuais providências necessárias sejam prontamente tomadas”.

(*) Com informações do Correio Braziliense

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]