Manaus, 13 de junho de 2024
×
Manaus, 13 de junho de 2024

Manchete

Braga pede ao TRE-AM impugnação da candidatura de Amazonino Mendes

Braga pede ao TRE-AM impugnação da candidatura de Amazonino Mendes

A alegação de Braga junto ao TRE-AM é de que a ata apresentada pela chapa do ex-prefeito, na qual consta a aliança com o Partido Republicano Brasileiro (PRB) e Partido Social Cristão (PSC) é falsa. (Foto: Chico Batata)

Redação – A coligação “União pelo Amazonas”, do candidato Eduardo Braga (PMDB), protocolou no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), um pedido de impugnação contra a candidatura de Amazonino Mendes, do PDT.

A alegação de Braga junto ao TRE-AM é de que a ata apresentada pela chapa do ex-prefeito, na qual consta a aliança com o Partido Republicano Brasileiro (PRB) e Partido Social Cristão (PSC) é falsa.

A desconfiança quanto a legitimidade da ata está relacionada ao fato da convenção dos referidos partidos ter ocorrido horas após, o encerramento das convenções do PSD e PDT, não podendo, na visão da coligação “União pelo Amazonas”, o PRB e o PSC ter deliberado pela adesão à coligação. As informações contestadas por Braga integram o Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (DRAP).

Além da impugnação da candidatura de Amazonino, a coligação do senador pediu a impugnação de Adbala Fraxe (Pode), candidato a vice na chapa de Rebecca Garcia (PP). Fraxe tem condenação por formação de quadrilha e crime contra a ordem tributária, referente a cartel em postos de combustível.

O Ministério Público Eleitoral (MPE) também pediu a impugnação do vice de Rebecca. “Não há dúvida de que o candidato ora impugnado se encontra inelegível para a disputa do pleito suplementar de 2017, por ter sido condenado em primeira instância por crime contra a ordem econômica, cuja decisão foi confirmada pelo TRF 1ª Região, incidindo, por isso, na hipótese de inelegibilidade prevista no art. 1º, I, “e”, da LC nº 64/90, razão pela qual o seu registro deve ser indeferido”, alega o MPE.