MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Dossiê entregue à CPI diz que declaração de óbito da mãe de Luciano Hang foi fraudada

Médicos da Prevent Senior afirmam que, mesmo a mãe do empresário sendo internada por covid-19, a declaração de óbito consta que ela não morreu pela doença
Da Redação – Portal AM1*
• Publicado em 22 de setembro de 2021 – 14:30
Foto: Reprodução

BRASÍLIA, DF – Um dossiê entregue à CPI da Covid revelou que a declaração de óbito da mãe do empresário Luciano Hang, Regina Modesti Hang, foi fraudada. Regina faleceu em fevereiro deste ano após contrair covid-19. No documento, elaborado por 15 médicos que trabalharam para a Prevent Senior, afirmou que ela fez o tratamento precoce e teria recebido tratamentos experimentais enquanto esteve internada, porém, no atestado de óbito afirma que ela não morreu vítima do novo coronavírus.

Recentemente, médicos denunciaram o esquema da empresa Prevent Senior, que estaria realizando tratamento precoce nos pacientes de forma experimental, além de ocultar as mortes por covid-19 ocorridas nas unidades de saúde. Segundo os profissionais, Regina seria mais uma das vítimas, dos “inúmeros casos que não foram devidamente noticiados”.

Após a morte da mãe, o empresário publicou nas redes sociais que Regina estava assintomática e com 95% do pulmão comprometido quando chegou ao hospital. Ela foi internada no Hospital Sancta Maggiore, da rede Prevent Senior, em São Paulo.

Leia mais: Omar Aziz critica discurso de Bolsonaro na ONU: ‘só Deus para mudar a cabeça’

Hang afirmou que a mãe não teria feito o uso de nenhum medicamento do kit covid e questionou se ainda estaria viva se tivesse feito tratamento precoce. O empresário ainda disse que Regina era cardíaca, tinha diabetes, insuficiência renal, sobrepeso e tomava cerca de 20 comprimidos por dia.

No entanto, no prontuário do hospital aponta que a paciente adotou o tratamento precoce antes de dar entrada na Prevent Senior. Ainda internada, ela recebeu ivermectina e tratamentos experimentais. “Como outros tantos casos de óbitos na rede Prevent Senior decorrentes da covid-19 que não foram devidamente informados às autoridades, a declaração de óbito da sra. Regina Hang foi fraudada ao omitir o real motivo do falecimento”, diz um trecho do documento.

A empresa Prevent Senior destacou que não houve fraudes nas declarações de óbitos. Nesta quarta-feira (22), o diretor-executivo da empresa, Pedro Benedito Batista Junior, presta depoimento para a CPI da Covid e negou que tenha cometido irregularidade. O empresário Luciano Hang ainda não se pronunciou sobre o assunto.

(*) Com informações do Uol

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap