Coronavírus ameaça impactar a produção de smartphones na ZFM

US - R$ 5,25

×

Coronavírus ameaça impactar a produção de smartphones na ZFM

A produção na região Sudeste do Brasil já foi afetada, e a ZFM também teme o impacto por falta de componentes para a fabricação de eletrônicos

(Foto: Alex Pazuello/ Governo do Estado)

A epidemia do coronavírus já matou centenas de pessoas em quase todo o mundo, e agora, ameaça também a produção industrial na Zona Franca de Manaus (ZFM).

Segundo um relatório divulgado na última segunda-feira, 17, pela Trendforce, empresa chinesa de análise de cadeia de suprimento, a produção de smartphones no Brasil pode cair 12% no primeiro trimestre de 2020, em comparação ao mesmo período de 2019.

Leia mais em: Amazonas puxou o crescimento do Brasil em 2019, indica BC

De acordo com o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Nelson Azevedo dos Santos, a indústria está preocupada com o possível impacto da epidemia na produção local. 

“Nós temos preocupação, porque onde há fumaça há fogo. Como já afetou a produção em algumas regiões do Brasil, é claro que poderá afetar a Zona Franca, mas até o momento não há nada que comprometa a indústria local”, afirmou o vice-presidente. 

Veja também: Coronavírus preocupa segmento empresarial do Amazonas

Azevedo lembrou que em São Paulo as multinacionais Samsung e Motorola já tiveram períodos de paralisação e estão redirecionando os estoques, isso porque grande parte dos componentes usados para a fabricação de smartphones e outros dispositivos vem de fornecedores chineses. 

O vice-presidente contou que conversou nesta quarta-feira, 19, com o superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, e este confirmou que até o momento não há nada oficialmente que comprometa a fabricação local, mas por conta da ameaça, o setor vai buscar formas de prevenir o impacto. 

Azevedo destacou ainda, que devido a distância da região Norte, a quantidade de mercadoria armazenada é maior, pois há estoque local, em trânsito e internacional. 

Proposta

O deputado federal Alberto Neto (Republicanos) propôs ao Ministério da Economia a criação de um grupo de trabalho, com participação dos setores público e privado, a fim de estudar os efeitos da epidemia sobre a ZFM e para criar propostas de resoluções.

“Enviei essa indicação para o ministro da Economia para que possamos desde já pensarmos em soluções para resolver a falta de abastecimento de insumos na ZFM. Nosso polo importa muitos componentes da China e já está em alerta devido ao corona”, disse.

Dados

Em 2019, o estado do Amazonas importou US$ 10,163 bilhões, sendo o quinto maior importador. Somente da China foram US$ 3,791 bilhões, o que correspondeu a 37,3% do total. O setor eletroeletrônico se destaca, pois é responsável por 50% do faturamento da ZFM.

Se confirmada a previsão da Trendforce, essa seria a pior produção para o primeiro trimestre em 5 anos. Além disso, outros tipos de dispositivos, como monitores, TVs e notebooks também devem ter redução de milhões de unidades na produção. 

Faça um comentário