MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Em nova postagem, Bolsonaro anuncia que vai vetar aumento do ‘Fundão’

Aumento do Fundão para quase R$ 6 bilhões foi alvo de protestos nas redes sociais; presidente diz que vai vetar a proposta "em respeito ao povo"
Lucas Rodrigues – Portal AM1
• Publicado em 20 de julho de 2021 – 20:02
Bolsonaro prorroga suspensão de metas para prestadores de saúde
Foto: Alan Santos/PR

BRASÍLIA, DF – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a dizer que vai vetar o aumento do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), conhecido como Fundo Eleitoral ou Fundão. O novo anúncio foi feito em suas redes sociais no início da noite desta terça-feira (20).

Na postagem, o presidente diz que defende, acima de tudo, a harmonia entre os poderes e a sua autonomia. “É partido desde princípio que jogamos, desde o início, dentro das quatro linhas da Constituição Federal. Dito isto, em respeito ao povo brasileiro, vetarei o aumento do fundão eleitoral”, afirmou.

Leia mais: Bolsonaro garante que vai vetar ‘Fundão’: ‘Não sou obrigado’

O aumento do Fundão para R$ 5,7 bilhões foi aprovado na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022, na última quinta-feira (15). Durante entrevista nesta terça-feira, o presidente afirmou que vetaria o fundo eleitoral por achar “uma cifra enorme que está sendo desperdiçada”.

“Caso ela seja sancionada – posso adiantar para você que não será sancionada. Que afinal de contas, eu tenho que conviver em harmonia com o Legislativo, e nem tudo que eu apresento ao Legislativo é aprovado e nem tudo o que o Legislativo aprova, vindo deles, eu tenho obrigação de aceitar”, afirmou.

No entanto, a palavra final, ainda que Bolsonaro vete o texto, cabe ao Congresso Nacional. O Legislativo pode derrubar o veto caso junte maioria nas duas casas, sendo 257 votos na Câmara e 41 no Senado. Neste caso, Bolsonaro teria que promulgar a lei do mesmo jeito, o que poderia ser feito também pelo presidente ou pelo vice-Presidente do Senado caso o chefe do Executivo se recuse.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap