Manaus, 13 de junho de 2024
×
Manaus, 13 de junho de 2024

Cenário

Enquanto Manaus sofre, David e Menezes brigam pela canetada de R$ 1 bilhão de Bolsonaro

Após Menezes dizer que tirou David da mesa do presidente, prefeito de Manaus deixa claro que fez propaganda de obras sem ter o dinheiro em caixa.

Enquanto Manaus sofre, David e Menezes brigam pela canetada de R$ 1 bilhão de Bolsonaro

Foto: reprodução

David Almeida (Avante) reagiu aos áudios vazados do pré-candidato ao Senado Alfredo Menezes (PL), nos quais ele diz que “tirou o prefeito da mesa do presidente Jair Bolsonaro”, com quem os dois estiveram ano passado e anunciaram que a cidade receberia uma verba federal de R$ 1 bilhão, que cairia nos cofres do município.

Sem ter mais como cumprir o “canteiro de obras” anunciado em suas redes sociais com a verba federal do presidente, o prefeito suplicou a Bolsonaro que reveja sua posição. “Eu fui ao governo federal, fui recebido três vezes pelo presidente, e todos os ministros se comprometeram. Inclusive, já tínhamos a sinalização de liberação de recursos. Nós vamos deixar de construir 4 mil apartamentos. R$ 1 bilhão e cem mil reais deixarão de vir aqui”, observou Almeida, deixando claro que fez a propaganda das obras sem ter o dinheiro em caixa para execução.

Leia mais: Semsa separa R$ 10,8 milhões para serviços gráficos e ignora Portal da Transparência

David ainda “ameaçou” Menezes e Bolsonaro, lembrando às vésperas de uma eleição, que o presidente recebeu muitos votos aqui e que se o dinheiro não vier, ele vai “lembrar todos os dias que Manaus tem um grande inimigo.”

Com a cidade cheia de problemas, buracos nas ruas, falta de esgoto, sujeira, alagamentos, falta de mobilidade, falta de creches e uma infinidade de pessoas invisíveis aos olhos da prefeitura, enquanto David Almeida e Menezes brigam por prestígio com Bolsonaro e dinheiro federal, a cidade padece. “Esses recursos mais do que nunca precisam cair dentro do cofre da prefeitura”, disse o prefeito, que ano passado, contrataria Luan Santana para fazer uma grande festa com recursos públicos por R$ 600 mil, mas que agora não tem mais como fazer valer a propaganda das redes sociais.