US - R$ 4,13

×

Clubes alemães e franceses rejeitam proposta de Liga dos Campeões

A ECA quer que 24 das 32 vagas na fase de grupos da Liga dos Campeões sejam reservadas para os principais clubes da Europa

Os clubes profissionais da Alemanha e da França rejeitaram nesta quarta-feira uma proposta que tornaria a Liga dos Campeões um torneio mais elitizado no futebol europeu. Depois de a Bundesliga, liga que organiza o Campeonato Alemão, informar que os 36 times das suas duas primeiras divisões foram contrários ao plano de reforma da competição proposto pela Associação Europeia de Clubes (ECA, na sigla em inglês), representantes das equipes francesas, reunidos em Paris, também anunciaram que reprovam este projeto.

A Uefa está planejando adotar planos similares aos da ECA ao projetar o futuro da principal competição interclubes do continente, mas, assim como a Bundesliga, a Liga de Futebol Profissional (LFP), órgão que organiza o Campeonato Francês, se opôs a esta proposta, com 32 votos contra e três abstenções em um pleito realizado nesta quarta-feira entre os seus filiados.

Foto: Reprodução/Facebook/Champions League

O Bayern de Munique e o Borussia Dortmund estão entre os 13 membros alemães que fazem parte da ECA, que está pedindo à Uefa que faça mudanças radicais no atual formato da Liga dos Campeões E a França conta com nove clubes que fazem parte desta poderosa organização, cujo líder é Andrea Agnelli, presidente da Juventus, da Itália.

A ECA quer que 24 das 32 vagas na fase de grupos da Liga dos Campeões sejam reservadas para os principais clubes da Europa, em vez de serem preenchidas de acordo com o desempenho dos times nas ligas domésticas do continente, como ocorre atualmente.

O presidente da Bundesliga, Christian Seifert, disse que mudanças na Liga dos Campeões “não devem comprometer a relevância e o futuro” das ligas nacionais europeias. E ele acrescentou que o atual plano da ECA “prejudicaria a sustentabilidade de todo o futebol europeu e isso nunca pode ser do interesse da Uefa”.

Horas depois de os alemães se manifestarem sobre o assunto, a LFP reforçou oficialmente a sua oposição ao planos elitistas defendidos pela ECA. “O futebol francês está preocupado com as consequências esportivas e econômicas do atual projeto para as ligas nacionais”, disse o órgão.

Segundo Didier Quillot, diretor executivo da LFP, grandes clubes, incluindo Paris Saint-Germain, Olympique de Marselha e Lyon, participaram da votação desta quarta-feira. Entre estes times, PSG e Lyon poderiam apoiar o projeto da ECA, mas o dirigente não revelou se estas equipes votaram contra ou a favor do mesmo.

O presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Noel Le Graet, participou desta reunião com representantes dos times da França e apresentou uma proposta alternativa para reformular o principal torneio da Europa. Quillot e Le Graet, entretanto, se recusaram a revelar os detalhes deste projeto.

Veja também

Russo lidera testes da F-1 com a Mercedes em Barcelona

Curry brilha e Warriors vencem Trail Blazers em 1º jogo da final do Oeste

Bate-Estaca é legal, mas médicos apontam até risco de tetraplegia

Temendo perdas de receitas de TV para os clubes do futebol francês, e um calendário de jogos caótico, Le Graet disse que uma Liga dos Campeões fechada para uma elite pré-determinada minaria o campeonato nacional do país.

“Nós trabalhamos nos últimos dias para tentar convencer um certo número de pessoas a alterar a proposta da Uefa”, afirmou Le Graet. “Os clubes decidiram pensar sobre a nossa proposta. Se for validada, vamos apresentá-lo à Uefa no próximos dias”, revelou o dirigente.

(*) Com informações da Estadão Conteúdo

Faça um comentário