CMM cobra medidas sobre preços abusivos de materiais de construção - Amazonas1

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

27 de setembro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

CMM cobra medidas sobre preços abusivos de materiais de construção

Atualmente, os valores cobrados nos estabelecimentos comerciais e que têm inviabilizado a realização de obras chegam a assustar

CMM cobra medidas sobre preços abusivos de materiais de construção
Foto: Márcio Silva

O aumento nos valores de insumos como tijolo, cimento, tinta e de outros produtos essenciais na área da construção civil, se tornou pauta da Câmara Municipal de Manaus (CMM). Joelson Silva (Patriota), presidente da Câmara, cobrou medidas urgentes contra os preços abusivos registrados no setor.

Leia mais em: MPF investiga Bi Garcia por distribuir cestas básicas em ano eleitoral

O parlamentar utilizou a tribuna, nesta terça-feira (15), para retomar o debate acerca do assunto e destacar um problema que, além de afetar diretamente a iniciativa privada, tem provocado uma onda de desemprego na capital amazonense.

Em respeito aos trabalhadores, consumidores e lojistas, Joelson Silva ressaltou a necessidade da criação de políticas que possibilitem o reaquecimento da economia e que forneçam condições básicas para que essas pessoas possam sobreviver à crise.

“É preciso investir mais e rever o preço abusivo dos insumos, para que os grandes projetos saiam do papel e seja possível a criação de novos empregos diretos e indiretos na construção civil. Estamos tratando de um dos setores que mais gera recursos e faz a economia girar e crescer dentro da nossa cidade, do nosso estado”, disse o vereador.

Valores

Atualmente, os valores cobrados nos estabelecimentos comerciais e que têm inviabilizado a realização de obras chegam a assustar. O milheiro do tijolo, por exemplo, que há pouco tempo custava entre R$ 400 e R$ 500, chega a ser vendido por mais de mil reais. Já a saca de cimento chega a ser vendida por até R$ 31.

Intervenção

A discussão encabeçada por Joelson Silva recebeu a contribuição de outros 11 vereadores e, dentro do debate, também foi salientada a influência da cotação do dólar e do preço do petróleo no preço do cimento, além de sugerida uma possível intervenção no setor oleiro que produz o tijolo.

 

(*) Com informações da assessoria

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading