Reforma de 16 paradas de ônibus vai custar R$ 6,2 milhões aos cofres de Manaus - Amazonas1
26 de outubro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Reforma de 16 paradas de ônibus vai custar R$ 6,2 milhões aos cofres de Manaus

O prefeito Arthur Neto (PSDB) está no seu último governo e deixará o comando de Manaus em menos de três meses

Reforma de 16 paradas de ônibus vai custar R$ 6,2 milhões aos cofres de Manaus
Foto: Marinho Ramos / Semcom

Às vésperas de encerrar o mandato, o prefeito Arthur Virgílio Neto (PSDB) autorizou um gasto no valor de mais de R$ 6,2 milhões para reformar 16 plataformas de ônibus em Manaus. A informação consta em um extrato publicado no Diário Oficial do Município, na edição de segunda-feira (28).

Segundo a publicação, a reforma das estações de embarque e desembarque de passageiros abrange as paradas de ônibus localizadas ao longo das avenidas Constantino Nery, Torquato Tapajós e Max Teixeira.

As obras foram garantidas por meio do Contrato n° 028/2020, celebrado no último dia 24 de setembro entre a Prefeitura de Manaus e a empresa Construtora Rio Negro, que tem como único sócio Glesdson de Lima Cameli, conforme aponta o site da Receita Federal.

Leia mais: Delação na Lava Jato: Consórcio da Ponte Rio Negro pagava a Eduardo Braga

Já pelo serviço nas 16 estações em Manaus, a construtora Rio Negro, que faz parte do grupo Cameli vai receber exatos R$ 6.207.682,16 e o contrato assinado pelo secretário Municipal de Infraestrutura, Kelton Aguiar, terá vigência de 210 dias.

Leia mais: Braga e Omar se acusam: houve irregularidades na construção da Ponte Rio Negro

Confira extrato publicado:

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading