Março Amarelo: ginecologista da SES-AM alerta para os sintomas da endometriose

Campanha visa conscientizar sobre a doença que afeta sete milhões de mulheres no Brasil
Da Redação – Portal AM1
Publicado em 30/03/2022 05:00
Foto divulgação

Março é o mês mundial da conscientização da endometriose, doença que ocorre devido ao crescimento do endométrio, tecido que recobre a parte interna do útero e descama na menstruação. A ginecologista obstetra, Sonia Diniz, que atua no Instituto da Mulher Dona Lindu, unidade da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), alerta para os principais sintomas, para o diagnóstico e para o tratamento da doença que afeta muitas mulheres jovens em período fértil.

“A endometriose é uma doença que se caracteriza pela presença de células endometriais fora da cavidade uterina, principalmente na trompa, ovário, intestino, vagina e outros órgãos. Hoje a mulher moderna tem uma quantidade muito maior de menstruações ao longo da vida, isso faz com que o fluxo menstrual, reflua e, nesse fluxo, atinja órgãos pélvicos e forme implantes ao longo da vida da mulher, causando dores”, destacou a médica.

A doença afeta hoje mais de sete milhões de brasileiras. De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose, entre 10% a 15% de mulheres em idade reprodutiva (de 13 a 45 anos) podem desenvolvê-la e há 30% de chance de que fiquem estéreis.

A dor é o sintoma mais comum da endometriose, conforme explicou a médica. “A dor vai aumentando progressivamente ao longo da vida. Pode ser acompanhada de dor nas relações sexuais, cólica menstrual, geralmente uma cólica bem intensa que vai aumentando, sangramento anormais e pode também levar a infertilidade pelo comprometimento das trompas, uma gravidez na trompa, a gravidez tubária, entre outros”, disse a ginecologista.

Leia mais Prefeitura de Manaus recebe mais de R$ 13 milhões em IPTU, mas economista vê falha na gestão dos recursos

Diagnóstico e tratamento – Diante da suspeita, o exame ginecológico clínico é o primeiro passo para o diagnóstico da doença, que pode ser confirmado por exames laboratoriais e de imagem. “Quando a mulher descobre ou desconfia que tem uma dor além do normal durante todo período menstrual, ela deve procurar o serviço de saúde mais próximo, onde tenha um ginecologista para que possa identificar a doença, sendo que o diagnóstico da endometriose, na maioria dos casos, é clínico, feito através dos sintomas”, afirmou a médica.

O tratamento de endometriose é ofertado na rede estadual de saúde, com o Hospital Delphina Aziz, em Manaus, sendo referência. Entre 2019 e 2021, a rede pública realizou 467 atendimentos ambulatoriais e 317 atendimentos hospitalares em todo o Amazonas. 

“O melhor tratamento da endometriose hoje é o  hormonal, ou seja, pela interrupção do fluxo menstrual, que pode ser através de medicamentos. Existem também outras drogas utilizadas em casos mais graves”, enfatizou a ginecologista.

Para iniciar o tratamento é necessário encaminhamento médico. A paciente pode obter o pedido em um primeiro atendimento em uma Unidade Básica de Saúde (UBS), de responsabilidade das prefeituras municipais.

(*) Com informações assessoria

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS