‘Nós tiramos o Brasil da esquerda’, afirma Bolsonaro em filiação

Bolsonaro afirmou que após seu governo, o país saiu das mãos dos esquerdistas, que queriam levar o país para outros rumos
Publicado em 30/11/2021 12:11
'Nós tiramos o Brasil da esquerda', afirma Bolsonaro em filiação
Foto: Reprodução

BRASÍLIA, DF – O presidente Jair Messias Bolsonaro disse, na manhã desta terça-feira (30), durante sua filiação ao Partido Liberal (PL), que os brasileiros voltaram a utilizar mais as cores da Bandeira Nacional , após seu governo e que, também, o brasileiro voltou a ser mais patriota.

“O futuro do Brasil está em nossas mãos. Nós tiramos o Brasil da esquerda, nós todos tiramos. Olhem para onde estávamos indo e olha para onde foram certos países, como a Venezuela e outros países. Nós não queremos isso”, disse.

Filiado agora ao PL, Bolsonaro também destacou em seu discurso que o povo tem um bem que é a liberdade e que algumas pessoas extrapolam os limites, se referindo ao Supremo Tribunal Federal (STF).

“Como disse o Jorginho [senador] também, nós temos um bem que está na nossa frente e não podemos desprezá-lo, achar que não vai acabar nunca. É um bem que nós devemos sempre zelar por ele, que é a nossa liberdade. Alguns extrapolam aqui na região da Praça dos Três Poderes, mas essa pessoa vai ser reenquadrada e vai se enquadrando e vai vendo que a maioria somos nós. E, nós aqui que temos votos, em especial, é quem devemos conduzir o destino da nossa nação”, afirmou o chefe da República.

Leia mais: Com auditório lotado, Bolsonaro ‘casa’ com PL rumo à reeleição em 2022

Bolsonaro também culpou a gestão dada à educação do Brasil à época do governo petista, de Lula e Dilma. “Tivemos uma pessoa lá [não podemos citar os nomes aqui, porque não deve fazer política], e que ficou no Ministério por 12 anos, e o que poderíamos esperar da nossa educação? Uma educação fadada a continuar sendo fracassada!”, argumentou Bolsonaro, afirmando que a educação no país ainda não é boa, mas está melhorando. “Ela ainda não está boa prezado Milton (MEC), mas é como um transatlântico, aquele Ministério pela quantidade de pessoas, normas e legislações que serão mudadas aos poucos”, frisou.

Bolsonaro afirmou que, após seu governo, o país saiu das mãos dos esquerdistas, que queriam levar o país para outros rumos, que não o de patriotismo e amor a Pátria, com defesa de ideologias contrárias ao que os brasileiros almejam.

“Temos um exemplo que nós não queremos seguir de há pouco tempo na nossa Pátria, e agora, temos aberto cada vez mais um caminho enorme para construirmos aquela nação que nós queremos. Quem tem andado pelo Brasil, cada vez mais, vai percebendo, em qualquer lugar, as cores verde e amarela predominando e, muito, sobre o vermelho. Isso é um sinal de fé, de confiança, de esperança, de honestidade. As cores da nossa bandeira, nós todos conseguimos fazer brotar no coração dos brasileiros um sentimento de patriotismo, de amor à Pátria, a falar em Deus, Pátria e da família. Nós temos nossos próprios lemas para nos aproximarmos cada vez mais, de países que agem parecido conosco e não para quem está do outro lado do balcão”, finalizou.

Filiação

A filiação de Bolsonaro na sigla contou com a presença de seus ministros e políticos de todas as partes do Brasil, incluindo alguns do Amazonas, como o presidente estadual da sigla, Alfredo Nascimento.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS