Juíza determina que Alejandro fique em cela isolada e com atendimento psicológico

US - R$ 4,16

×

Juíza determina que Alejandro fique em cela isolada e com atendimento psicológico

Acusado de participar do assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues, Alejandro foi internado nesta sexta, 6, em um hospital particular com uma lesão muscular

Alejandro Molina Valeiko (Foto: Alailson Santos/PC-AM)

A juíza Lina Marie Cabral, da Central de Inquéritos do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam), determinou que Alejandro Valeiko passasse por exames médicos e que fosse conduzido para o Centro de Detenção Provisória Masculino 1 (CDPM1), no quilômetro 8 da BR-174, após a bateria de análise.

A decisão da transferência de Valeiko foi expedida na tarde de quinta-feira, 5. A magistrada ainda exigiu que a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) garantisse a segurança psicológica e física de Alejandro e, que ele ficasse em uma cela isolada dos demais presos.

Na manhã desta sexta-feira, 6, Valeiko, apontado como um dos envolvidos no homicídio do engenheiro da Ambev Flávio Rodrigues, 42, foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular, no Centro de Manaus. A suspeita é que esteja com uma lesão muscular com liberação de conteúdo intracelular com grande incidência em dependentes químicos, a rabdomiólise.

Essa ruptura do tecido muscular resulta na liberação de uma proteína (mioglobina) no sangue. A mioglobina pode danificar os rins. O tratamento é feito com auxílio médico. 

Até o momento, Alejandro está deitado e realizando exames. Ele já foi submetido a uma tomografia pela manhã e encontra-se no 4° andar do leito 8. Três policiais civis, sendo uma mulher, fazem a escolta dele. Uma psicóloga e uma psiquiatra já estiveram presentes na UTI acompanhando Alejandro.

Segundo informações de dois investigadores que acompanham Alejandro Valeiko, não há previsão da saída do filho da primeira-dama do município deixar a unidade hospitalar.

Prisão Preventiva

Na última segunda-feira, 2, Alejandro Molina Valeiko, de 29 anos, teve sua prisão preventiva mantida pela juíza Anagali Bertazzo. No entanto, a juíza Lina Marie Cabral, no mesmo dia, decidiu por manter Alejandro Molina Valeiko preso no 19º DIP, até nova decisão no final, que saiu nesta quinta-feira. 

Alejandro Valeiko é acusado de participação no homicídio de Flávio Rodrigues, encontrado morto no dia 30 de setembro deste ano, em um terreno baldio, na estrada do Tarumã, na zona Oeste de Manaus. Flávio teria participado de uma festa, um dia antes de ser achado morto, na casa de Alejandro Valeiko, no Tarumã.

Além de Alejandro Valeiko foram indiciados no inquérito policial a irmã dele, Paola Valeiko, por fraude processual; Vittorio Del Gatto, por omissão de socorro, o sargento da Polícia Militar do Amazonas, Eliseu da Paz e o lutador de MMA Mayc Parede, no processo de homicídio.

(*) Colaborou o repórter Josemar Antunes

Faça um comentário