Suspeito de matar menina de 8 anos se mata em cadeia de SP

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

29 de setembro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Suspeito de matar menina de 8 anos se mata em cadeia de SP

Lavrador Aguinaldo Guilherme Assunção, de 49 anos, se matou no Centro de Detenção Provisória de Cerqueira César, a 304 quilômetros de SP

Suspeito de matar menina de 8 anos se mata em cadeia de SP
(Reprodução)

O suspeito de ter assassinado a menina Emanuelle Pestana de Castro, de 8 anos, Aguinaldo Guilherme Assunção, de 49 anos, se matou no Centro de Detenção Provisória de Cerqueira César, a 304 quilômetros de São Paulo, na madrugada desta quarta-feira, 15.

A informação foi confirmada pela equipe da Polícia Civil de Chavantes, cidade em que ocorreu o crime, também no interior de São Paulo. Ainda não se sabe, porém, se o suicídio será investigado em Cerqueira César ou em Chavantes. As circunstâncias da morte do suspeito ainda estão sendo investigadas pela polícia.

Veja também:

Companheiro da sobrinha de narcotraficante ‘Zé Roberto’ é preso

Manaus registra 55 mortes violentas nos 12 primeiros dias do ano

Homem que abusou sexualmente do sobrinho de 11 anos é preso

Na manhã desta quarta-feira, o delegado Marco Aurélio de Cerqueira César foi até a cadeia em que ocorreu a morte para acompanhar o trabalho da perícia. 

Perfil de Aguinaldo

Aguinaldo Guilherme Assunção tem 49 anos era lavrador, mas estava desempregado. O último trabalho foi na quitanda da cidade de Chavantes, onde nasceu e cresceu. Ele mora em uma casa com a mulher e o enteado de 10 anos.  O suspeito foi casado anteriormente e teve uma filha, hoje com 21 anos. Ela mora com a mãe e não tinha contato com o pai.

Aos 17 anos, Aguinaldo matou o irmão Roberto, de 23 anos. Ainda em 1988, Beto, como era chamado, trabalhava com manutenção de equipamentos eletrônicos e, ao chegar em casa, foi para o banho. O irmão queria ir antes e começou uma discussão. Roberto foi morto com uma faca de cozinha ainda no banheiro. Após o crime, Aguinaldo foi preso na rodoviária da cidade enquanto brincava com cachorros, porém, aproximadamente dois meses depois, foi colocado em liberdade.

Segundo a sobrinha dele, Roberta Assunção, a família não desconfiava do envolvimento dele na morte de Emanuelle, mas ainda assim está sendo ameaçada. “Ele tratava bem as crianças, brincava com as da vizinha. A gente não admite isso, mas a gente não tem culpa de nada, ele que tem que pagar”, afirmou. 

O caso

Aguinaldo Guilherme Assunção confessou à polícia ter matado Emanuelle Pestana de Castro, de 8 anos, que estava desaparecida desde sexta-feira, 10, em Chavantes, no interior de São Paulo, por vingança. Ele era vizinho da vítima e alegou que cometeu o crime porque a mãe da menina não permitia que ela brincasse com o enteado dele.

Para atrair a criança que brincava em um parquinho, ele chamou Emanuelle para colher mangas, que seriam entregues como presente para a mãe dela. A menina foi flagrada por câmeras circulando sozinha pela rua, mas sendo seguida pelo suspeito.

A garota foi de bicicleta com Aguinaldo até uma área de reflorestamento, e no local, segundo a polícia, ele teria dado uma facada nas costas da menina e em seguida outros golpes no peito dela. No total foram 13 golpes.

A Polícia Civil quer saber ainda se a criança foi vítima de abuso sexual. O laudo deve sair em até 30 dias. As informações são do R7.

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading