Manaus, 24 de abril de 2024
×
Manaus, 24 de abril de 2024

Cidades

Pontes sobre rios Curuçá e Autaz-Mirim podem ser entregues ainda neste ano, diz Dnit

Ao Portal AM1, o Dnit afirmou que uma das as pontes "está em andamento" e a outra ainda está na "fase de aprovação de projeto".

Pontes sobre rios Curuçá e Autaz-Mirim podem ser entregues ainda neste ano, diz Dnit

Pontes sobre o rio Curuçá desaba, deixa 5 cinco mortos e 14 feridos (Foto: Divulgação)

Manaus (AM) – Há um ano e cinco meses, aproximadamente, as pontes em dois trechos da BR-319 desabaram e deixaram prejuízos para a população de Careiro Castanho e Careiro da Várzea, na Região Metropolitana de Manaus (RMM). Mas, ao Portal AM1, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) afirmou que as pontes estão em fase de construção e devem ser entregues ainda neste ano.

A primeira ponte, sobre o rio Curuçá, localizada no quilômetro 23, da BR-319, “está em andamento com a execução dos blocos de fundação e dos pilares dos encontros da nova ponte”, afirmou o DNIT.

Já no caso da ponte sobre o rio Autaz-Mirim, “os trabalhos estão na fase de aprovação de projeto para execução do reforço das fundações”.

O órgão foi questionado pela reportagem sobre a locomoção de pessoas e mercadorias de produtores rurais que precisam das pontes para chegarem à capital, e respondeu que, enquanto as pontes estão sendo construídas, “provisoriamente, a travessia está sendo realizada por balsa em ambos os rios”.

A previsão é que a reconstrução das duas pontes seja concluída no segundo semestre deste ano.

O Dnit também foi questionado pelo Portal AM1 se há imagens das construções para mostrar o processo das obras, e como resposta, o departamento de infraestrutura disse que “não há imagens”, o que cabe pensar que não está tendo fiscalização no local.

Contratos

No último dia 15, foi publicado no Diário Oficial da União, o Extrato de Contrato nº 45/2024 – USAG 393009/Processo: 50601.000987/2023-66, o qual beneficia a empresa STE SERVICOS TÉCNICOS DE ENGENHARIA SA, para prestar serviços de supervisão e apoio à fiscalização na execução das obras de reconstrução de uma nova ponte sobre o rio Curuçá. O valor da contratação é de R$ 4,1 milhões dos cofres públicos.

O documento ainda diz que a ponte tem a extensão total de 150 metros e prazo de execução do serviço de 12 de fevereiro deste ano a 10 de fevereiro de 2025, sendo o prazo da vigência do contrato de 8 de fevereiro de 2024 a 7 de maio de 2025.

Veja o documento:

captura-de-tela-2024-02-20-153205

Já para a construção parcial da ponte sobre o rio Autaz-Mirim, no quilômetro 24.60, serão pagos R$ 4 milhões (R$ 4.004.086,25 exatamente). Segundo o documento, o reforço nas fundações da ponte de 175 metros serão feitos de concreto e o prazo de execução finaliza em 10 de fevereiro de 2025, sendo que a vigência do contrato finaliza em 7 de maio do ano que vem.

Veja:

autaz-mirim-2

Ao Portal AM1, produtores rurais que utilizam as pontes para transportar suas mercadorias afirmam que, desde o desabamento, o Dnit não fez quase nada pelo local, sendo que, em 2023, sem a ponte, não houve tráfego de veículos para o município de Manicoré, cidade para onde também são enviados os produtos regionais.

A extrativista Silvia Elena afirma que o desabamento das pontes prejudicou, e muito, a população que vive nessas localidades. Ela ainda relata que, para que os produtores possam entregar seus produtos, tanto em Manaus quanto em outros municípios, eles atravessam o rio por balsas, confirmando, a princípio, o que disse o Dnit.

“Para quem mora na BR-319, não tem barco, e eles têm que passar de qualquer jeito […]. Foram colocadas balsas para fazer a travessia [dos produtores rurais]”, diz a extrativista.

Cobranças

Em maio de 2023, a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) cobrou o então superintendente do Dnit, Luciano Moreira de Souza Filho, por 11 vezes, para esclarecer como estava o planejamento para reconstruir as pontes, e também, para prestar contas sobre os contratos que o órgão havia firmado para recuperar os trechos da BR-319.

Na época, o Dnit Amazonas iria gastar o montante de R$ 24,8 milhões para derrubar as estruturas antigas e reconstruir nova ponte sobre o rio Curuçá, com a previsão de que a obra seria entregue em outubro, porém, atrasou, e até maio de 2023, as estruturas que desabaram ainda estavam no local.

Luciano Moreira não compareceu à Aleam nas 11 vezes em que foi convidado, indo à Casa legislativa somente em junho, quando foi cobrado no plenário para prestar os esclarecimentos. No mesmo mês, no dia 17, Luciano Moreira foi exonerado pelo Ministério dos Transportes, presidido por Renan Filho. Hoje, a pasta é presidida por Orlando Fanaia Machado.

LEIA MAIS: