MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Prefeitura de Maués vai pagar quase R$ 4 milhões em dedetização

Prefeito Junior Leite pretende desembolsar R$ 3,8 milhões só para matar pragas, como ratos e insetos, dos prédios públicos da cidade
Juliana Siqueira – Portal AM1
• Publicado em 13 de setembro de 2021 – 18:11
Dedetização na Prefeitura de Maués vai custar quase R$ 4 milhões ao bolso do contribuinte
Foto: Reprodução

MAUÉS, AM – O serviço sanitário de dedetização de espaços e ambientes vai custar quase R$ 4 milhões aos cofres públicos da Prefeitura de Maués, que é comandada pelo prefeito Júnior Leite (PSC). A empresa que será contratada, aliás, está envolvida em irregularidades no município de Eirunepé.

O documento que trata da aquisição foi publicado no Diário Oficial dos Municípios (DOM), nesta segunda-feira (13), mas está assinado desde o último dia 3, pelo vice-prefeito Sérgio Mazzini Leite Filho. Ainda não é o contrato oficial, mas sim um despacho de homologação, que deixa engatilhada a contratação milionária.

O prefeito e vice de Maués pretendem desembolsar o total de R$ 3.807.100,00 para “serviços de dedetização e controle de pragas em prédios públicos”. O montante será pago à empresa BIOLIMPO LTDA – EPP, cujas donas são as empresárias Patrícia Lindoso Tribug Zaranza, Bárbara Lindoso Tribug e Katiane Rocha da Cunha.

A empresa, segundo o cadastro do CNPJ nº 04.537.410/0001-27 no site da Receita Federal, fica localizada na rua Rio Purus, bairro Nossa Senhora das Graças, zona Centro-Sul de Manaus, e possui um capital social de R$ 600 mil. O estabelecimento realiza o serviço de imunização e controle de pragas urbanas.

Leia mais: Prefeita Patrícia Lopes contrata Pontual por R$ 2 milhões

Esquema

Vale destacar que uma das donas da empresa, a Katiane Rocha da Cunha, está envolvida em um escândalo de corrupção no município de Eirunepé, investigado pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM). O principal beneficiário do esquema seria o próprio prefeito, Raylan Barroso, que atuava por meio de “laranjas”.

Em 2020, a pedido do MP, o desembargador José Hamilton Saraiva, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), pediu a quebra dos sigilos bancário, fiscal e bursátil de 25 investigados. Entre estes, estavam o prefeito e Katiane.

Outros contratos

Essa é a mesma empresa que também foi contratada pelo titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), o ex-deputado federal Pauderney Avelino (DEM), em junho, para sanitização nas escolas municipais de Manaus, pelo valor de R$ 2,5 milhões, para mais de 500 prédios. Contrário ao contratado em Maués, que deverá ser um total de quase 326 unidades.

Leia mais: Pauderney assina contrato milionário sem licitação para limpar as escolas de Manaus

A aquisição foi garantida por meio de dispensa de licitação justificada pela a situação de emergência, causada pela cheia dos rios e a pandemia da covid-19, embora a cheia não tenha ligação aparente com a limpeza das escolas.

Resposta

Em nota, a Prefeitura de Maués informou que o gasto com a dedetização será para cerca de 100 prédios públicos, a partir da contratação, entre eles: escolas, Unidades Básicas de Saúde, secretarias, prédios administrativos, ginásios esportivos, CRAS, CREAS, feiras, mercados, etc. Além de mais de duzentos prédios localizados na zona rural do município.

Confira a nota na íntegra:

A Prefeitura de Maués informa que os serviços de dedetização, controle de pragas e sanitização de ambientes, que poderão ser realizados pela Empresa BioLimpo Ltda., declarada como vencedora no certame como Registro de Preço modalidade a qual não obriga contratação/execução total dos serviços. A execução quando necessária visará atender cerca de 100 prédios públicos localizados na sede do município, como: Escolas, Unidades Básicas de Saúde, Secretarias, Prédios Administrativos, Ginásios Esportivos, CRAS, CREAS, Feiras, Mercados, etc. Na zona rural os serviços poderão ser executados em mais de 200 prédios, entre eles estão: 154 escolas, 12 unidades de saúde e 60 centros comunitários, localizados nas mais diversas calhas de rio que compõem o município. 

É importante observar ainda que a maior parte dos prédios públicos passaram tempos fechados devido à pandemia da Covid-19, com a baixa dos rios, o verão amazônico traz consigo várias doenças entre elas as respiratórias, portanto a necessidade da contratação dos serviços, que garantirão assim mais segurança para população.

Os serviços têm objetivo de controlar a população de insetos, roedores e demais vetores que possam comprometer a saúde da população nesses espaços, em cumprimento às normas e padrões de higiene ambientais definidos pela legislação federal, estadual e municipal, regulada através de suas Secretaria de Saúde e Vigilância Sanitária.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap