MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Amom acusa David de perdoar implicados na fraude do Residencial Manauara

De acordo com o vereador, investigações efetivas sobre o caso do residencial não foram levadas a cabo, e nem servidores foram exonerados
Lucas Rodrigues – Portal AM1
• Publicado em 13 de outubro de 2021 – 19:03
Amom denuncia omissão da Prefeitura em serviços emergenciais em Manaus
Foto: Divulgação

MANAUS, AM – Durante entrevista ao Amazonas1 nesta quarta-feira (13), o vereador Amom Mandel (União Brasil) afirmou que as punições no caso do residencial Cidadão Manauara 2 foram “para grego ver”. A entrevista do parlamentar foi transmitida pelas redes sociais do portal.

Segundo o parlamentar, o líder do prefeito na Câmara Municipal de Manaus (CMM), Marcelo Serafim (PSB), chegou a dizer que os servidores comissionados envolvidos no caso seriam exonerados, e que no caso dos de carreira, estatutários, haveria processo administrativo disciplinar. No entanto, não foi o que aconteceu.

De acordo com Amom, que faz parte da oposição ao prefeito de Manaus na CMM, nenhuma prova foi apresentada para demonstrar que os processos de exoneração dos comissionados que receberam apartamentos no residencial foram iniciados.

Leia mais: Amom Mandel denuncia quedas suspeitas no sistema e na internet da CMM

“O que aconteceu foi que eles não foram exonerados, e os parentes dos que foram exonerados que receberam casas continuam com esses apartamentos lá no residencial. Até agora, só aconteceu uma exoneração, ‘para grego ver'”, apontou Mandel, que está em seu primeiro mandato na Câmara.

O vereador, que também é ouvidor-geral da Casa, disse que confia nas instituições federais para a investigação, e que o caso segue em investigação tanto pela Polícia Federal como pelo Ministério Público Federal.

“Esses órgãos têm seus próprios mecanismos de investigação, e creio que em um ano, já teremos um desfecho. Pode parecer um prazo longo, até porque esse tipo de investigação, como é federal, demora bastante. Mas se nós considerarmos o Brasil, pode dar muito certo, e eu espero isso, porque confio muito no papel das instituições federais”, completou.

Entenda o caso

Em agosto deste ano, veículos de comunicação de Manaus descobriram que duas tias e uma prima de Fernanda Aryel Almeida, filha do prefeito, teriam ganhado apartamentos no residencial Cidadão Manauara 2, que chegou a ser inaugurado com a presença do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Suellen e Surreila Fernandes Rodrigues, tias de Fernanda, e Dayane Sabrina Rodrigues de Oliveira, prima da filha do prefeito, foram contempladas na lista da Caixa Econômica Federal.

Além das tias e prima de Fernanda, os parlamentares Amom e Rodrigo Guedes (PSC) descobriram que outros servidores comissionados da Prefeitura de Manaus estavam envolvidos no escândalo. Mariley Santos da Costa, Thainá Sampaio de Oliveira, Adriano da Silva Oliveira, Vera Lúcia de Souza Gomes, Andréia Ferreira da Silva, Rosiane dos Santos Silva e Charlington Pessoa Pereira foram identificados como tendo recebido os apartamentos do residencial.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap