Relembre casos de filhos que assassinaram os pais no Amazonas - Amazonas1
16 de maio de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Relembre casos de filhos que assassinaram os pais no Amazonas

A equipe de reportagem do Portal AM1 listou os principais casos onde filhos que assassinaram os pais e que chocaram a população

Relembre casos de filhos que assassinaram os pais no Amazonas
Foto: Reprodução

MANAUS, AM – Uma discussão sobre corte de cabelo resultou no assassinato de um homem 38 anos na noite da última segunda-feira (12), em Manaus. O suspeito confessou ter assassinado a facadas a vítima, que era o próprio pai. Este é só mais um dos casos onde filhos que assassinaram os pais chocam a sociedade pelo requinte de crueldade.

A equipe de reportagem do Portal AM1 listou os principais casos de ocorrências de filhos que assassinaram os pais e ganharam repercussão em Manaus, no Brasil e no Mundo.

Caso Belota

Um dos casos mais brutais que ocorreu em Manaus foi o Caso Belota, em janeiro de 2013. O mandante do crime, Jimmy Robert, planejou o assassinato do próprio pai, Roberval Roberto de Brito, 63, da tia Maria Gracilene Belota, 55, e da prima Gabriela Belota, 26. Uma herança de R$ 200 mil foi a motivação para cometer os assassinatos, ou seja, um motivo fútil.

Além das três vítimas, o cachorro da família foi estrangulado durante a ação dos criminosos. O animal foi amarrado pela coleira no armador da rede da residência. Em outras palavras, o crime demonstrou o nível de crueldade dos assassinos. Jimmy havia contratado Rodrigo de Moraes Alves e Ruan Pablo Bruno Cláudio Magalhães para cometerem os assassinatos.

Leia mais: Relembre casos de crianças mortas por parentes que chocaram o AM

Gabriela morreu asfixiada com um saco plástico. A vítima ainda sofreu estupro. Os corpos da mãe e da filha foram encontrados pela empregada um dia após o crime. Em conclusão, ambas apresentavam sinais de estrangulamento.

Ruan Pablo Bruno Claudio Magalhães (à esquerda) Jimmy Robert Brito (no meio) e Rodrigo de Moraes Alves (à direita) (Foto: Divulgação / SSP-AM)

Em depoimento à polícia, Jimmy afirmou que teria mágoas do pai. Para não levantar suspeita, Jimmy decidiu matar a tia e a prima.  Como resultado, ele retiraria de uma só vez todos do processo da herança.

O corpo do pai de Jimmy foi encontrado na residência em que morava. As mãos da vítima estavam amarradas e o corpo apresentava sinais de estrangulamento.

Todos os suspeitos confessaram a participação e, portanto, receberam a pena de 100 anos de prisão.

Com pé-de-cabra, filho mata mãe e irmão

Outro caso de filhos que assassinaram os pais ocorreu em abril de 2011. Alcinei Gomes da Silveira matou a mãe e o irmão utilizando um pé-de-cabra e uma faca. O caso aconteceu no bairro São José, zona Leste de Manaus. No entanto, jovem tentou assassinar o pai, porém, a vítima sobreviveu ao ataque. Segundo a polícia, Alcinei matou primeiro o irmão de 13 anos. A vítima bebia água quando foi ferida com uma arma branca.

Foto: Divulgação

Após assassinar o próprio irmão, o criminoso limpou a casa e atraiu a mãe para a residência. Ele a matou no mesmo dia. Ainda na casa da família, à noite, o homem tentou esfaquear o pai, que sobreviveu após imobilizá-lo.

A família não aprovava a orientação sexual de Alcinei, o que teria causado revolta no rapaz. Como resultado, ele decidiu cometer os assassinatos. Ele foi condenado a 60 anos de prisão pelo crime de duplo homicídio e tentativa de homicídio.

Em janeiro de 2017, ele foi morto durante a chacina no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj). Antes de ser morto, ele e outros presos escreveram uma carta denunciando o sistema de corrupção dentro do presídio. Supostamente, os diretores do sistema carcerário recebiam dinheiro da facção Família do Norte (FDN).

Por dinheiro, jovem mata a própria mãe

Leonardo Natividade Freitas foi acusado de matar a mãe, de 60 anos, a facadas. O crime ocorreu dentro da residência deles, em 2020. Após o crime, o suspeito roubou o cartão que continha a quantia de R$ 400. A irmã do autor do crime informou à polícia sobre a ocorrência. Depois disso, ele foi caçado pela polícia.

O assassinato foi presenciado pelo irmão mais novo dele que o viu chegar em casa. Depois disso, o menino foi amarrado ao se recusar a dizer onde estava o dinheiro.

Leonardo ainda exigiu que o irmão mais novo dissesse à polícia que a morte teria sido acidental.

Adolescente paga suspeitos para matarem o pai

Uma adolescente de 16 anos foi a mandante da morte do pai. A jovem pagou dois suspeitos para invadir a casa do genitor e o esfaquear até a morte. Segundo a polícia, por exemplo, a menor planejou o assassinato por uma semana.

Mesmo ferido, o homem conseguiu esfaquear um dos criminosos. Porém, ele não resistiu aos ferimentos e morreu durante o atendimento médico em uma unidade de saúde. O crime ocorreu em fevereiro de 2021, ou seja, é outro caso de filhos que assassinaram os pais.

Foto: Divulgação

Segundo a polícia, em primeiro lugar, a jovem queria ter mais liberdade. Em segundo lugar, ela fazia uso de drogas, no entanto, o pai não permitia o comportamento.

Leia mais: Crimes famosos: relembre os casos que chocaram Manaus

O pai, que era peixeiro, possuía uma quantia de R$ 7 mil na residência. Após o assassinato, a adolescente se apossou do dinheiro e distribuiu para os criminosos. Ainda segundo a polícia, a mãe da adolescente sabia do crime desde o planejamento. Em qualquer caso, não se sabe se, de fato, houve a participação dela no crime.

Assassinato que chocou o Brasil

Caso Von Richthofen

O assassinato do casal Von Richthofen, com certeza, foi um dos casos mais famosos de todo o Brasil. O caso aconteceu em outubro de  2002. Suzane Von Richthofen planejou, com o namorado e o irmão dele, um falso latrocínio na mansão da família Richthofen. Depois disso, os pais da adolescente foram mortos com vários golpes na cabeça.

Para ter direito a herança da família, Suzane planejou o assassinato nos mínimos detalhes. Acima de tudo, os pais dela eram contra o namoro da jovem com Daniel Cravinhos.

Crime

Suzane e Daniel levaram o irmão, Andreas Richthofen, para uma lan house, onde passou a noite jogando vídeo game. Após despistarem o garoto, o trio se encontrou e foi em direção à mansão da família. No local, Suzane garantiu que os pais estivessem dormindo para executar o crime.

Foto: Reprodução

Além disso, a polícia suspeitou dos depoimentos e viu que a execução não se tratava de um caso comum de latrocínio. Segundo eles, as falas e o próprio local onde o casal foi morto pareciam montagem. Ou seja, as investigações se direcionaram para as pessoas mais próximas do casal morto.

Mesmo com as dúvidas, os depoimentos de Suzane, do namorado e do irmão dele, pareceram convincentes para a polícia a princípio. Portanto, o que determinou a suspeita contra eles foi a compra de uma moto por um dos participantes um dia após o crime. Como resultado, a polícia acabou descobrindo todo o esquema criminoso.

Em novembro de 2002, o trio confessou a morte dos pais de Suzane e, como conclusão, o casal recebeu a pena de 39 anos e 6 meses de prisão. Cristian recebeu 38 anos e 6 meses de cadeia.

Leia mais no Portal AM1*

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]