Réveillon do Rio não consegue patrocínio, e licitação pode ser anulada

Prazo foi estendido para as três empresas que ganharam a concorrência, mas pandemia fez empresários recuarem
Publicado em 03/12/2021 09:30
Réveillon do Rio não consegue patrocínio, e licitação pode ser anulada
Foto: Divulgação

RIO DE JANEIRO, RJ – Depois de três meses de sucessivos adiamentos de prazo, as três empresas que ganharam o edital para organizar o Réveillon do Rio de Janeiro ainda não conseguiram o compromisso de patrocinadores que queiram bancar uma das maiores festas do mundo.

Na prática, a falta do fiador pode até provocar uma anulação da licitação pela Riotur, a Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro que coordena a festa. Se o cenário já era difícil com o recuo de empresários, a chegada da variante Ômicron atrapalha ainda mais os planos.

Diferentemente de anos anteriores, em 2021 a Prefeitura do Rio de Janeiro permitiu que as empresas que ganharam a licitação para promover o Réveillon pudessem entregar a carta do patr

Já as outras duas empresas que formam o consórcio para montar os outros dez palcos pela cidade tiveram a prorrogação até o dia 30 de novembro. A expectativa é que os palcos possam reunir 1 milhão de pessoas, segundo a prefeitura. Mas as cartas de intenção de patrocínio não foram entregues.

Leia mais: David desafia Ômicron e mantém festas; SP cancela Réveillon

Um interlocutor de uma das empresas afirmou reservadamente que já havia o compromisso ‘apalavrado’ de empresas interessadas em patrocinar a festa, mas com o avanço da pandemia, a persistência de novos casos e mortes e o surgimento de uma nova variante, a Ômicron, ninguém quis se comprometer oficialmente.

Com isso, a Riotur agora trabalha com três cenários. O primeiro deles é perdoar os atrasos e fazer um remendo jurídico para manter o edital válido mesmo com o prazo vencido. Na avaliação de interlocutores da agência, essa seria a melhor maneira de manter os planos iniciais caso o Réveillon seja realizado.

O segundo plano é anular a licitação e reabrir a concorrência no caso de os patrocinadores não aparecerem e a prefeitura se vir obrigada a relançar a proposta ao mercado ou pagar a festa por conta própria. O problema para esse plano é o prazo apertadíssimo para um evento tão grande.

O terceiro cenário seria cancelar tudo alegando o avanço da pandemia e a chegada da variante Ômicron. Juridicamente a solução estaria bem embasada. Em outras palavras, a Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro se vê entre o perdão, a anulação e o cancelamento do edital.

Em nota, a Riotur se limitou a dizer que “vem planejando e organizando tanto o Réveillon como o Carnaval na cidade; em função dos acontecimentos relacionados ao vírus da Covid — de conhecimento de todos — as informações sobre ambos os eventos seguem o ritmo do possível”.

Exposição

O patrocinador do Réveillon tem direito a ter a marca exposta em uma série de peças e locais, como outdoor, mobiliário urbano, boca de túnel, galhardetes, sanitários, torres de luz e som, vídeos nos telões, backdrop de fundo da entrevista coletiva, citações em releases e 50 a 100 convites para camarotes, além de espaço pra montagem de stand e autorização para atividades na praia de Copacabana, no caso do evento da zona Sul.

Custo

Pelo que prevê o caderno de encargos disponibilizado aos patrocinadores, a fatura da festa é alta. Para o evento de Copacabana, por exemplo, a previsão é de três palcos, sendo um principal e dois satélites, com quatro shows artísticos, dois DJs e uma escola de samba.

A queima de fogos deve durar no mínimo 12 minutos com ‘desenho artístico de padrão internacional coerente com a grandiosidade e a relevância’ do evento e será embarcada em até dez balsas. Para a transmissão simultânea do espetáculo, os palcos deverão ter pelo menos dois telões de Led com resolução full HD e medidas mínimas de sete metros por 3,95 metros.

Prazos

A Riotur prevê que a montagem da estrutura do Réveillon comece no dia 10 de dezembro e vá até, no máximo, o Natal. Assim, os ensaios técnicos seriam realizados entre 28 e 30 de dezembro e a desmontagem da festa da virada está prevista para 6 a 15 de janeiro. No dia 31, as apresentações começam às 17h com um DJ e vão até as 4h da manhã.

(*) Com informações da CNN Brasil

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS