MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Reverendo Amilton Gomes tentou negociar vacinas com prefeituras

Reverendo chegou a mandar e-mails para prefeituras e municípios do Acre, por exemplo; negociação era comunicada à Davati Medical Supply
Da Redação – Portal AM1*
• Publicado em 03 de agosto de 2021 – 19:45
Amilton Gomes
Foto: Pedro França/Agência Senado

BRASÍLIA, DF – E-mails divulgados pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia no Senado mostram que o reverendo Amilton Gomes de Paula, presidente da organização não-governamental Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah), ofereceu vacinas a prefeituras de todo o país. Os e-mails foram divulgados nesta terça-feira (3), durante o depoimento de Gomes à comissão.

Em 25 de fevereiro, o reverendo enviou um e-mail à Associação dos Municípios do Acre (Amac), que representa os 22 municípios acreanos, oferecendo a venda doses de vacinas da AstraZeneca “com viés humanitário”. O e-mail apresentava uma “carta de informações” sobre os imunizantes, e foi enviado do endereço [email protected], atribuído ao reverendo.

Leia mais: CPI da Pandemia vai ouvir depoimento de Amilton Gomes de Paula

Um mês depois, em 26 de março, a Amac respondeu a mensagem com uma carta de intenções, mostrando interesse na compra de vacinas da Janssen. Quem recebeu a resposta, desta vez, foi Renato Gabbi, um dos líderes da Senah. Este, por sua vez, encaminhou o e-mail para Cristiano Carvalho, representante da Davati Medical Supply no Brasil, que disse não ter mais vacinas da Janssen disponíveis. O negócio, no fim, não se concretizou.

E-mail foi enviado à secretaria da Amac. Foto: Reprodução

Tratativas

De acordo com Carvalho, a tratativa com o Acre não foi a primeira com prefeituras. Ele afirmou que os contatos com os municípios eram feitos pela Senah, que avisava a Davati sobre os negócios.

“O reverendo soltou uma mala-direta para prefeituras em todo o Brasil em nome da Davati, e recebemos pedidos de consórcios e associações. Tudo através dele. Eu, [Luiz Paulo] Dominghetti, a própria Davati, nunca tivemos esse tipo de acesso. Ele está se eximindo da responsabilidade”, afirmou Carvalho, em entrevista à CNN Brasil.

Em seu depoimento, Amilton Gomes disse que não tinha conhecimento de tratativas sobre vacinas com as prefeituras, e que não havia conversado com prefeitos ou governadores. No entanto, depois da revelação dos e-mails, o reverendo afirmou que teve conhecimento das propostas enviadas às cidades, e que a iniciativa partiu de um dos diretores da Senah.

(*) Com informações da CNN Brasil.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap