Manaus, 24 de abril de 2024
×
Manaus, 24 de abril de 2024

Política

Wilson diz que ação do Ibama gerou fake news no AM

Pecuaristas que vivem no Sul do Amazonas disseram a parlamentares que o Ibama obrigou a retirada de gado da região

Wilson diz que ação do Ibama gerou fake news no AM

WELDER AGUILERA - PORTAL AM1

Brasília (DF) – Depois que pecuaristas que vivem no Sul do Amazonas afirmarem que até 500 mil gados estavam sendo obrigados a serem retirados em uma ação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o governador do Amazonas, Wilson Lima, disse que a informação trata-se de uma “fake news”.

A declaração foi dada na última quarta-feira (5), após reunião com o presidente do órgão, Rodrigo Agostinho, em Brasília, uma semana após pecuaristas levarem a questão para parlamentares do Amazonas, que criticaram a ação do Ibama e chegaram a defini-la como “cruel”. O fato foi divulgado pelo AM1 com base nas declarações de pecuaristas e dos parlamentares amazonenses.

Na ocasião, o deputado estadual Adjuto Afonso (UB) denominou a medida como “represália” aos moradores da região autuada.

Mas para o governador Wilson Lima, diferentemente do que foi repassado pelos pecuaristas aos políticos, dos 19 pontos na região informados com notificação de apenas cinco dias para retirada dos gados, somente dois municípios, Lábrea e Manicoré, sofrem com as medidas de restrição.

“O que está acontecendo na região é apenas uma determinação oficial de áreas que já estavam embargadas. Correu-se muita notícia e muita fake news, o que causou uma preocupação e uma animosidade naquela região que seria todo gado retirado e todo mundo seria afetado, e não é bem assim”, disse o governador.

Ele afirmou que ainda solicitou uma prorrogação de prazo diretamente ao presidente do Ibama, Rodrigo Agostinho.

Na ocasião, o Agostinho destacou que “estuda uma ideia” de notificação para outras 17 áreas, como citado anteriormente por pecuaristas da região juntamente com parlamentares do Amazonas, em uma área que suporta até 500 mil cabeças de gado, mas que a atual operação atinge no máximo 2,5 mil bois.

“Nós entendemos que é uma situação de consciência. E a gente pede para que essas regiões do Amazonas voltem a ter o outro perfil, de convivência harmônica, entre a atividade produtiva e a proteção ambiental”, pontuou o presidente do Ibama que ainda ressaltou que a preservação da Amazônia deve ser uma prioridade sempre.

Assista ao vídeo com a fala do presidente do Ibama:

Ao lado do governador Wilson Lima, presidente do Ibama afirma que órgão atuará com ‘bom senso’

82 mil campos de futebol desmatados

Quanto ao desmatamento na região de atuação do Ibama, a reportagem apurou e identificou que conforme o Conservação e Desenvolvimento Sustentável (Idesam), o distrito concentra praticamente todo gado do município de Manicoré, com 115 mil cabeças de gado, o que o torna o quarto maior rebanho do Amazonas.

Entre 2004 e 2018, o número aumentou 800%, passando de 12,8 mil para 115 mil animais. No mesmo período, foi desmatada uma área equivalente a 82 mil campos de futebol.

LEIA MAIS: