Prefeitura de Presidente Figueiredo despeja esgoto no Urubuí

US - R$ 4,38

×

Prefeitura de Presidente Figueiredo despeja esgoto no Urubuí

O episódio, segundo a população, é atribuído a uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) cuja prefeitura é responsável

Morador Daniel Silva mora em Presidente Figueiredo há 30 anos (Márcio Silva/Amazonas1)

O Amazonas1 produziu uma série de reportagem para denunciar o descaso do poder público quanto a falta de infraestrutura, saneamento básico e limpeza no município de Presidente Figueiredo, conhecido como a Terra das Cachoeiras.

A primeira, que foi ao ar na tarde de quarta-feira, 21, tratou sobre a falta de manutenção de uma ponte que leva risco a crianças que necessitam do local para ir à aula e a segunda, falou sobre o ‘lixão’ na selva que fica na estrada que liga o município à vila de Balbina. Mas o município também sofre com praças abandonadas, falta de saneamento básico e forte odor de lixo oriundo do manejo incorreto de esgoto, como veremos a seguir.

Os relatos são de moradores do município de Presidente Figueiredo que denunciam o despejo inadequado de esgoto não tratado no rio Urubuí, na passagem que dá acesso à comunidade Santa Cruz, que abriga em torno de 180 famílias. Conforme os cidadãos, os dejetos que seguem em direção a água têm um cheiro forte de esgoto.

O episódio, segundo a população, é atribuído a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) cuja prefeitura é responsável, e que fica situada no Bairro Morada do Sol, próximo ao rio. 

Água é despejada no rio Urubuí (Márcio Silva/Amazonas1)

“O igarapé do Urubuí está sendo totalmente poluído porque não tem política pública de meio ambiente. E a estação de tratamento de esgoto que tem, praticamente não funciona, porque como os bueiros e esgotos estão todos entupidos e apenas uma pequena quantidade chega na estação, que ainda joga dejetos sem tratamento nenhum dentro dos rios”, denuncia o biólogo Daniel Silva, 41, que é morador da região há 30 anos.

Fátima Araújo, 41, moradora e dona de um comércio que fica em frente a estação de tratamento de esgoto, na avenida Acariquara, nº 1, diz que a situação é a mesma desde quando ela se mudou para a região, há aproximadamente dez anos.

“É uma situação muito difícil, porque aqui esse tratamento de esgoto não funciona como deveria e a gente que mora aqui há mais de dez anos têm que conviver com esse odor, principalmente em período de inverno. Ou seja, quando chove, o fedor fica ainda mais forte”, relatou

Estação de Tratamento de Esgoto Morada do Sol (Márcio Silva/Amazonas1)

A moradora também denuncia que é despejado lixo na frente da estação, prejudicando ainda mais o meio ambiente. “Isso acumula o lixo próximo ao igarapé e quando chove, o lixo desce e vai para o rio. Temos crianças que brincam aqui pela rua e têm que conviver com todos esses problemas e lidar com o mau cheiro”, finalizou.

De acordo com o vereador Ricerlli Pontes, da Câmara Municipal de Presidente Figueiredo, o município tem enfrentado uma série de dificuldades com relação a infraestrutura, saneamento básico e falta de limpeza nas ruas.

Vereador Ricelli Pontes (Márcio Silva/Amazonas1)

“Encontramos ruas esburacadas, bairros totalmente abandonados. Isso é um desconforto que estamos enfrentando. Há uma péssima coleta de lixo no município, as ruas estão todas cheias de lixo, onde os urubus estão tomando conta da cidade, sem contar no descaso com os ramais e a prefeitura não tem tomado medidas necessárias quanto a todos esses problemas”, relatou o vereador.

Sem resposta

Mais uma vez, a reportagem tentou contato com a prefeitura por meio de telefonema para dar explicações, mas não obteve resposta. A matéria poderá ser alterada a qualquer momento.

Faça um comentário