Rio Preto da Eva reabre comércio não essencial a partir de 1° de junho
A + A -

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

28 de maio de 2020
Site auditado pelo

Redes Sociais

[email protected]

Rio Preto da Eva reabre comércio não essencial a partir de 1° de junho, afirma prefeito

O prefeito Anderson Sousa apresentou um plano de flexibilização para o retorno do comércio e afirmou que "é hora de não ficar em casa".

Rio Preto da Eva reabre comércio não essencial a partir de 1° de junho, afirma prefeito
Prefeito Anderson Sousa apresenta um plano estratégico (Foto: Márcio Silva/ Portal AM1)

A Prefeitura de Rio Preto da Eva definiu nessa quinta-feira, 21, quando o município atingiu a marca de 412 casos de Covid-19 e oito mortes, a reabertura gradual do comércio a partir de 1° de junho.

Em reunião realizada em um ginásio da cidade e aberta para toda população, o prefeito Anderson Sousa (Pros) apresentou aos moradores um plano de flexibilização para o retorno das atividades comerciais e consultou a opinião pública, que se mostrou favorável à decisão.

“É hora de não ficar em casa, mas saia de casa. Saia de casa com prevenção, com condições reais. Que nós vamos ter problemas, talvez aumente nos primeiros (dias, os casos de Covid-19), sabemos. Mas eu aposto que se todos nós tomarmos as prevenções devidas, nós não iremos ter problemas”, disse o prefeito.

(Foto: Márcio Silva/ Portal AM1)

De acordo com o plano de “Flexibilização gradual das atividades econômicas e sociais”, os estabelecimentos foram divididos em dois blocos que possuem grupos de empreendimentos.

A partir de junho, cada semana terá o retorno de um grupo de atividades.

Entre as atividades que devem retornar em junho estão: consultórios e laboratórios (primeira semana); lojas de conveniência, indústria, restaurantes e ambulantes (segunda semana); materiais de construção, insumos agrícolas, papelarias (terceira semana); táxis e ônibus comunitários (quarta semana).

Leia também: Rio Preto da Eva força atuação de professores no combate à Covid-19

Já entre as atividades que devem retornar em julho estão: salões, barbearias, lojas de cosméticos, meios de hospedagem (quinta semana); confecções, calçados e lojas de departamento (sexta semana); escritórios de advocacia e contabilidade, agências de turismo (sétima semana); balneários e bares (oitava semana) e eventos e entretenimento (nona semana).

A reunião que teve a participação de diversas classes de trabalhadores, de vereadores e da Secretaria de Saúde, seguiu as normas de distanciamento social e higienização.

A mensagem divulgada no convite do evento, no entanto, passou a ideia de que seria realizado um plebiscito para decidir entre o lockdown ou a reabertura do comércio.

Todavia em grande parte do evento, o prefeito  falou das ações realizadas no município e apresentou o projeto.

Horas depois, apenas no final da reunião, alguns moradores puderam expressar suas opiniões.

“Fiscais da Covid”

Para garantir o que o retorno das atividades não aumente a pandemia no município, o prefeito garantiu que serão reforçadas as normas de distanciamento social e higienização, além disso, o município deve contar com os “fiscais da Covid”.

“O comércio para continuar funcionando, que tá cheio de irregularidade como eu já vi, só vai funcionar se tiver cumprindo essa regras. Nós vamos ter 40 pessoas na rua, nos bairros, nos comércios, para fazer fiscalização, serão contratadas por 90 dias como fiscais da Covid”, afirmou Anderson Sousa.

Segundo o prefeito, essas pessoas serão contratadas no final de maio e vão receber treinamentos para atuar fazendo advertências a quem descumprir as medidas, e aplicar multas no caso de persistirem com as irregularidades.

Aumento diário de casos

O município que tem tido um aumento diário dos casos de coronavírus, já não vem seguindo as normas determinadas, como o uso de máscaras e o fechamento de estabelecimentos de serviços não essenciais.

 

Estabelecimentos não essenciais descumprem decreto (Foto: Márcio Silva/ Portal AM1)

“Tem muita gente que não respeita as restrições. Muitos estabelecimentos têm aglomerações, não aplicam álcool em gel, até têm, mas não aplicam nos clientes”, denunciou um dos moradores durante o evento.

Saiba mais em:

‘Onde foi que nós erramos?’, questiona prefeito de Rio Preto da Eva sobre Covid-19

Amazonas1 TV

Publicado por Amazonas1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias