Manaus, 1 de março de 2024
×
Manaus, 1 de março de 2024

Política

Carlos Bolsonaro perde licença de porte de arma

A Polícia Federal negou a renovação por não encontrar perigo que justificasse o uso de uma arma Glock 9.

Carlos Bolsonaro perde licença de porte de arma

Carlos Bolsonaro (Foto Divulgação/ Instagram)

Manaus (AM) – A Polícia Federal (PF) negou na última sexta-feira (21) a renovação de licença para o porte de arma de fogo ao vereador Carlos Bolsonaro (PL), filho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

O parlamentar, que possui uma pistola Glock 9, pediu uma nova concessão para renovar a licença que havia vencido, sob alegação de que, por ocupar um cargo público tem a “efetiva necessidade’. No entanto, a PF não encontrou perigo que justificasse o porte de arma.

Carlos teria entrado com o requerimento em 4 de julho, pedindo um novo porte com validade de cinco, de acordo com informação do O Globo.

Além da justificativa, o vereador afirmou que por ser filho do ex-presidente sofre ameaças, bem como a sua família – o que coloca sua integridade física em risco.

No entanto, a PF afirmou que a documentação enviada não é suficiente para comprovar a necessidade por ameaças e riscos individualizados.

Contra fatos não há argumentos

Nas redes sociais, o vereador se manifestou após ter o requerimento negado, afirmando que “contra fatos não há argumentos” e apresentou vários motivos, que segundo ele, justificariam a renovação de seu porte de arma.

“Primeiro, antigo filiado do PSOL, braço do PT tenta matar meu pai. Em seguida, as constantes ameaças à nossa integridade física aumentam, fatos vistos aos olhos de todos ao longo dos anos. Depois, retirarei a segurança e a negativa dos veículos blindados a serem usados ​​pelo ex-presidente. Agora, essa questão do porte de arma. A conclusão é de vocês”, escreveu.

Programa de Ação na Segurança

No mesmo dia da negativa ao parlamentar, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lançou o Programa de Ação na Segurança (PAS) a fim de diminuir a circulação e acesso a armas no país.

Lula também assinou diversos atos na área de segurança, entre elas está, justamente, o novo decreto que limita o acesso a armas e libera recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) para os estados e o Distrito Federal.

Além disso, Lula repassou para a Polícia Federal a fiscalização do armamento e munição dos artefatos que antes era do Exército.

LEIA MAIS: