MENU

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Com 3ª onda batendo à porta, conheça projetos que combatem a fome em Manaus

Pesquisa feita em dezembro de 2020, pela Rede Penssan, indicou que milhões de brasileiros passaram fome com a chegada da Covid-19
• Publicado em 08 de maio de 2021 – 18:26
fome
Foto: Divulgação Pixabay

MANAUS, AM – A covid-19 trouxe dor, perdas e uma grande crise financeira para todo o Brasil. Entretanto, um dos dados que preocupa grande parte da população é o aumento gradativo de pessoas que não têm o que comer.  A Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan) realizou uma pesquisa em dezembro de 2020 e indicou que aproximadamente 19 milhões de brasileiros passaram fome com a chegada da Covid-19.

O estudo foi feito em 5 regiões do Brasil, totalizando 2.180 lares brasileiros. As respostas indicaram que apenas 44,8% dos brasileiros tinham alimentos na mesa diariamente e que 55,2% da população estava passando por dificuldades para colocar alimento na mesa.

Leia mais: Fome atinge 19 milhões de brasileiros durante a pandemia em 2020

Pandemia em Manaus

Em Manaus, com a pandemia, foi possível acompanhar muitos movimentos para levar alimento às pessoas que estavam passando por dificuldades. Em janeiro de 2021, com a chegada da segunda onda do coronavírus, populares se organizaram para levar alimento e EPIs (Equipamento de Proteção Individual) para os hospitais e lares locais.

A equipe de reportagem do Amazonas1 decidiu mostrar alguns projetos que levam ajuda para aqueles que precisam. O grupo “Amigos da Sopa” e o “Aldeias infantis SOS Brasil” são alguns desses grupos que decidiram ajudar.

Programa Cozinhas Comunitárias

A Prefeitura de Manaus realiza um projeto na capital chamado “Cozinhas Comunitárias”. A ação é em parceria com Secretaria Municipal da Mulher,  Assistência Social e Cidadania – Semasc e alguns grupos privados levando alimento diariamente para os mais necessitados.

“Cozinhas Comunitárias visam ao resgate da cidadania dos usuários, mediante ações como palestras, ações de cidadania, prevenção do meio ambiente, reintegração familiar, fortalecimento de saúde física. Propõe ainda, contribuir com a redução do quadro de vulnerabilidade social e insegurança alimentar e nutricional nas mais diversas áreas, melhorando a qualidade e a perspectiva de vida da população, a partir de um cardápio devidamente orientado por nutricionistas que os acompanham periodicamente até atingirem níveis satisfatórios de nutrição. São servidas em média 200 (duzentas) refeições/dia (almoço), de segunda a sexta-feira, em cada uma das 06 unidades existentes. Neste período de pandemia, as refeições são servidas em quentinhas para serem consumidas em outros espaços”, informou a prefeitura em nota.

Além disso, foi revelado que, em maio, o prefeito David Almeida vai inaugurar o  “Prato do Povo” – Viver Melhor etapa 1, que levará refeições no valor simbólico de R$ 1 real para famílias residentes do conjunto habitacional, no Lago Azul, zona Norte de Manaus.

Grupo solidário Vovó Conceição

Foto: Divulgação

Moradores de Manaus e decididos a ajudar o próximo, Wilany Nascimento e seu irmão, Pedro Réis, decidiram juntar alguns amigos e familiares para levar sopas para moradores de rua da capital.

Seguindo ensinamento deixados pela mãe, que dizia para ela que ajudar era importante, Wilany e alguns familiares decidiram, após a morte do sobrinho, que trabalhava em um projeto levando sopas para moradores de rua, dar continuidade à ação.

“Nos começamos distribuindo uma panela de sopa. Meu irmão comprou alguns materiais, colocávamos no carro e íamos distribuindo por aí”, contou Wilany.

O grupo começou dando apenas uma panela de sopa, porém, com o passar dos dias e com ajuda de algumas pessoas, eles cresceram e levavam duas panelas grandes de sopas nas ruas do Centro de Manaus.

“Começamos entregando nas ruas do Centro da cidade, só que corríamos alguns riscos. Uma vez um rapaz tentou furar meu sobrinho, depois disso, começamos a entregar na porta do 28 de Agosto. Lá, além de dar a sopa para os acompanhantes, nós dávamos para os moradores de rua que vivem no local”, informou.

Com a chegada da covid-19, Wilany contou que precisaram parar com o projeto por medo da contaminação, entretanto, o Grupo solidário vovó Conceição voltará com a ação o mais rápido possível. Para ajudar o Grupo Solidário Vovó Conceição basta entrar em contato com Wilany no (92) 9160-2476.

Leia mais: Para ajudar a combater a fome, supermercados criam vale-compras

“Nós já temos esse grupo há 4 anos e ele não vai parar”, falou a participante da ação.

Cerca de 600 copos de sopas de 500ml eram distribuídos, com pão e um copo de suco. Wilany contou que em datas comemorativas, como Dia das Mães e Páscoa, eles faziam brindes para dar com a sopa.

Emocionada, Wilany contou ao Portal Amazonas1 que ajudar o próximo é um das melhores coisas que ela decidiu fazer; ato virou amor.

“É muito bom, é muito gratificante. Quando alguém chega com a gente para dizer ‘obrigado’, eu sinto que a minha mãe, em vida, fez o melhor trabalho em mim e nos meus irmãos. O legado que ela deixou está se expandindo, contaminando de uma forma boa muitas pessoas”, disse Wilany emocionada.

O Grupo solidário vovó Conceição não parou, eles continuam ajudando de forma individual, evitando aglomerações, mas visam voltar logo com o projeto para ajudar o máximo de pessoas.

Aldeias infantis SOS Brasil

Foto: Reprodução Facebook

Existente no Brasil há 54 anos, a Aldeias Infantis SOS Brasil é a maior organização humanitária de atendimento à criança no mundo. Ajudando os pequenos brasileiros de norte a sul, o  projeto Aldeias Infantis está em Manaus desde 1993.

“Ao longo dos anos a Aldeia SOS de Manaus prosseguiu abrindo seu leque de serviços e oferecendo, não apenas o acolhimento em abrigo, mas operando um trabalho junto às famílias das crianças abrigadas. Descobriu que era necessário trabalhar em parceria com o Município e o Estado, promovendo ações na defesa e garantia integral dos direitos das crianças, adolescentes e jovens através dos projetos desenvolvidos”, informou a assessoria da organização.

Projeto #SOSCriançasSemFome

Com a chegada da covid, a organização decidiu criar o projeto “#SOSCriançasSemFome”, que visa ajudar famílias em situações de extrema vulnerabilidade, distribuindo cartões de alimentação no valor de R$ 300 reais, kits de higienes e proteção contra a covid-19. O projeto terá a duração de quatro meses.

“Nosso objetivo é reduzir a fome e prevenir a perda do cuidado parental. A alimentação é um direito básico e estamos lutando para que nenhuma criança tenha que crescer sozinha”, explicou Edmond Sakai, diretor de Relações Institucionais, Marketing e Comunicação da Aldeias Infantis SOS Brasil.

A organização Aldeias Infantis ajuda, além das crianças, as famílias. Além disso, a Aldeias está ajudando os imigrantes venezuelanos e haitianos que residem no país.

Para eles, o importante é levar ajuda aos que precisam, em especial às crianças, para que nenhuma delas cresça sozinha.

Para ajudar o projeto basta acessar o site www.aldeiasinfantis.org.br e clicar em “Doe Agora”. Lá é possível se unir à Campanha #SOSCriançasSemFome. Qualquer pessoa ou instituição pode contribuir a partir de R$ 20,00. Para outras formas de doar, entre em contato através do e-mail: [email protected] ou pelo telefone: +55 11 4003-6543.

 

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap