Manaus, 28 de maio de 2024
×
Manaus, 28 de maio de 2024

Cenário

Com histórico de oposição, Caio André nega que tenha lado

Presidente da CMM migrou para o partido do governador e vive colado no candidato da oposição, mas ainda assim nega que tenha escolhido um lado na CMM.

Com histórico de oposição, Caio André nega que tenha lado

(Foto: Divulgação/CMM)

Manaus (AM) – O vereador Caio André (União Brasil) disse, nessa terça feira (23), que só tem um lado. O discurso realizado na tribuna da Câmara Municipal de Manaus (CMM) é um tanto incoerente com as atitudes dele, que desde que assumiu a presidência na Casa Legislativa tem deixado bem claro o posicionamento e o lado que ele joga.

Mesmo já sendo filiado a um partido do arco de aliança do governador do Amazonas, Caio André aproveitou a janela partidária, deixou o Podemos e se filiou ao União Brasil para declarar explicitamente o apoio dele ao candidato indicado por Wilson Lima, Roberto Cidade, que vai disputar a Prefeitura de Manaus e, assim, enfrentar o prefeito David Almeida (Avante) nas urnas no mês de outubro.

Considerando, ainda, que Wilson Lima e Roberto Cidade comandam a sigla no Amazonas e na capital, durante o ato de filiação Caio comemorou o que caracterizou como “vitória” migrar para o União Brasil. Ele definiu o partido como “um time vencedor”, capitaneado por grandes nomes da política amazonense.

“Hoje não é só um dia de filiação a um partido político. Estou sendo chamado a fazer parte do maior partido do estado do Amazonas, que tem um pré-candidato a prefeito do calibre do Roberto Cidade, capitaneado pelo governador Wilson Lima. E venho com muito afinco para esse time vencedor que é o União Brasil, formado por homens e mulheres de bem que estão unidos por um só objetivo”, destacou ele na ocasião.

Travou o PL

Outra demonstração de lado de Caio André se deu quando ele decidiu travar o Projeto de Lei (PL) 69/2024, que autoriza a Prefeitura de Manaus a emprestar R$ 580 milhões do Banco do Brasil.

Caio André ainda justificou:

“Infelizmente, por estar na presidência, eu não pude votar contra o empréstimo, mas é sabido por todos que meu voto seria contrário”, pontuou.

“Eu só tenho uma lado, é o lado do povo!”

 

 

 

LEIA MAIS: