MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Casal dono do Vitória alega inocência na delegacia

Casal Joabson Gomes e Jordana Freire estão detidos na DEHS, onde vão passar a noite; eles são acusados de mandar matar Lucas Guimarães
Lucas Rodrigues – Portal AM1
• Publicado em 21 de setembro de 2021 – 21:21
Empresário
O casal Joabson Gomes e Jordana Azevedo. Foto: Arquivo pessoal

MANAUS, AM – O empresário Joabson Agostinho Gomes e sua esposa Jordana Azevedo Freire, acusados de mandar matar o sargento do Exército Lucas Ramon Guimarães, de 29 anos, alegaram inocência durante sua detenção nesta terça-feira (21). A declaração foi dada pelo advogado do casal, Raphael Grosso Filho.

O casal se apresentou voluntariamente na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) para prestar depoimento à polícia. Segundo o advogado, houve um “mal-entendido” em toda a história.

Leia mais: PC já tem nomes de suspeitos da morte de empresário de cafeteria

Ainda no fim da tarde, um funcionário da rede de supermercados Vitória, da qual o casal é dono, foi até a delegacia para deixar alimentos para os dois. O casal deve dormir em celas separadas durante esta noite, quando terminar o depoimento.

Entenda o caso

Joabson é acusado de mandar matar o sargento do Exército Brasileiro Lucas Ramon Guimarães. Lucas era dono de uma cafeteria na avenida Ayrão, no bairro Praça 14, ao lado do Hospital Santa Júlia, e era casado com a filha do dono da unidade hospitalar, a quem deixou grávida. Ele foi assassinado por um pistoleiro no dia 2 de setembro deste ano, em sua cafeteria.

Lucas Guimarães foi morto em 2 de setembro. Foto: Arquivo pessoal

Segundo as investigações da Polícia Civil, o empresário e sargento mantinha um relacionamento extraconjugal com Jordana. O caso teria sido descoberto após Joabson descobrir que a esposa entregava dinheiro para Lucas. Segundo a delegada Marna de Miranda, responsável pelas investigações. Jordana entregava envelopes de dinheiro, que chegaram à quantia total de R$ 200 mil. O sargento chegou a devolver o valor a um funcionário da rede de supermercados.

“Nós temos comprovado que o valor foi devolvido por Lucas, que temeroso por sua vida, resolveu entregar o valor no local de seu trabalho e quem foi buscar o dinheiro, a mando de Jordana, foi um funcionário da rede Vitória. Nós temos fotos deste funcionário pegando o dinheiro”, afirmou a delegada.

Ainda segundo a delegada, não há informações do paradeiro do pistoleiro que teria matado Lucas.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap