MENU

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Flávio Bolsonaro entra com representação contra Renan na PGR

Filho do presidente alega que Renan Calheiros tem usado de seu poder como relator da CPI da Pandemia para persegui-lo e se vingar
Da Redação – Portal AM1*
• Publicado em 20 de julho de 2021 – 20:54
Flávio Bolsonaro
Fotos: Pedro França/Agência Senado

BRASÍLIA, DF – O senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) entrou com representação contra o relator da CPI da Pandemia no Senado, Renan Calheiros (MDB-AL) nesta terça-feira (20), na Procuradoria Geral da República (PGR). A alegação é que Renan estaria abusando da sua autoridade enquanto relator da Comissão.

De acordo com Bolsonaro, Renan teria um sentimento pessoal de vingança contra ele, e pretendia obter provas apenas para perseguir seus desafetos. Os argumentos foram os mesmos usados em outra representação protocolada na semana passada, na Comissão de Ética do Senado.

Leia mais: Flávio Bolsonaro aciona Conselho de Ética contra Calheiros: ‘incrimina testemunhas’

Flávio também teria dito que é alvo de “stalking” de Renan. O crime tem pena de prisão de seis meses a dois anos, além de multa. Segundo o filho do presidente, Renan Calheiros teria pedido à Receita Federal informações sobre os advogados Frederick Wassef e Willer Tomaz, que seriam ” da convivência pessoal” de Bolsonaro.

Relembre

No mês de maio, durante o depoimento do ex-secretário de Comunicação Social da Presidência, Fábio Wajngarten, Flávio Bolsonaro chegou a chamar Renan Calheiros de “vagabundo”. Desde então, o senador tem reiterado as ofensas contra Calheiros em todos os depoimentos na CPI.

Para descontar as ofensas, Renan teria entrado com requerimentos na Receita Federal e em outros órgãos, com o objetivo de verificar ligações e conexões entre o filho do presidente e o dono da Precisa Medicamentos, Francisco Maximiano, uma vez que há suspeitas de que Bolsonaro teria intermediado a compra da vacina Covaxin. Os requerimentos teriam sido disparados com o aval do presidente da CPI da Pandemia, Omar Aziz (PSD-AM)

A rixa entre os dois vem desde o início da legislatura. Em 2019, Renan se lançou candidato à presidência do Senado. No entanto, por articulação direta de Flávio Bolsonaro, a cadeira ficou para o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), então aliado do presidente. Desde então, Calheiros e Bolsonaro vivem em pé de guerra.

(*) Com informações da CNN Brasil.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap