MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Luciano Hang acusa CPI de usar morte da mãe como ‘artifício político’

O documento entregue à CPI da Covid aponta que o empresário e a empresa Prevent Senior fraudaram a declaração de óbito da mãe de Luciano Hang
Da Redação – Portal AM1*
• Publicado em 23 de setembro de 2021 – 09:09

SÃO PAULO, SP – O empresário Luciano Hang se manifestou, nesta quarta-feira (23), após o dossiê elaborados por médicos da Prevent Senior afirmarem que ele fraudou a declaração de morte da mãe, Regina Modesti Hang. De acordo com ele, o caso está sendo usado como “artifício político” pela CPI da Covid.

Em nota, o empresário disse que a mãe se curou da covid-19, no entanto, teve complicações por conta da doença. “Tenho total confiança nos procedimentos adotados pelo Prevent Senior e que tudo que era possível foi feito. Deixei claro a causa do falecimento de minha mãe em várias manifestações públicas e nas redes sociais, nunca foi segredo”, destacou o dono da Havan.

O empresário ainda negou que a mãe tenha recebido medicamentos do kit covid, que não possuem eficácia para tratar o vírus. “Ela era cardíaca, tinha diabetes, insuficiência renal, sobrepeso e outras comorbidades. Tomava dezenas de medicamentos diariamente, por isso não fizemos tratamento preventivo, aquele realizado antes de contrair o vírus”, disse.

Leia mais: CPI transforma diretor da Prevent Sênior em investigado por suspeita de fraude

Hang ainda criticou, sem citar nomes, os membros da CPI da Covid e lamentou que a morte da mãe esteja sendo citada no Senado. “Lamento que um assunto tão delicado seja usado como artifício político para me atingir, pelo simples fato de eu não concordar com as ideias de alguns membros que fazem parte dessa CPI, declarou.

Recentemente, médicos denunciaram o esquema da empresa Prevent Senior, que estaria realizando tratamento precoce nos pacientes de forma experimental, além de ocultar as mortes por covid-19 ocorridas nas unidades de saúde. Segundo os profissionais, Regina seria mais uma das vítimas, dos “inúmeros casos que não foram devidamente noticiados”.

Fraude na declaração de óbito

Um dossiê entregue à CPI da Covid revelou que a declaração de óbito da mãe do empresário Luciano Hang, Regina Modesti Hang, foi fraudada. Regina faleceu em fevereiro deste ano após contrair covid-19. No documento, elaborado por 15 médicos que trabalharam para a Prevent Senior, afirmou que ela fez o tratamento precoce e teria recebido tratamentos experimentais enquanto esteve internada, porém, no atestado de óbito afirma que ela não morreu vítima do novo coronavírus.

Leia mais: Bolsonaro e comitiva ficarão cinco dias isolados por risco de estarem com Covid

No entanto, no prontuário do hospital aponta que a paciente adotou o tratamento precoce antes de dar entrada na Prevent Senior. Ainda internada, ela recebeu ivermectina e tratamentos experimentais. “Como outros tantos casos de óbitos na rede Prevent Senior decorrentes da covid-19 que não foram devidamente informados às autoridades, a declaração de óbito da sra. Regina Hang foi fraudada ao omitir o real motivo do falecimento”, diz um trecho do documento.

A empresa Prevent Senior destacou que não houve fraudes nas declarações de óbitos. Nesta quarta-feira (22), o diretor-executivo da empresa, Pedro Benedito Batista Junior, prestou depoimento para a CPI da Covid e negou que tenha cometido irregularidade.

(*) Com informações do Uol

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap