Pacheco lamenta mortes de Dom e Bruno e cobra punição ‘com o rigor da lei’

"É com enorme pesar que recebo a notícia de que foram encontrados os restos mortais do indigenista Bruno Araújo e do jornalista Dom Phillips", escreveu Pacheco no Twitter
DA REDAÇÃO – PORTAL AM1
Publicado em 16/06/2022 09:50
Fotos: Divulgação

O presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD), lamentou a confirmação do assassinato do indigenista Bruno Pereira e o jornalista Dom Phillips no Vale do Javari e cobrou a punição dos envolvidos no “rigor da lei”.

Leia mais: Esposa de Dom chora ao saber do encontro dos corpos: ‘agora podemos nos despedir com amor’

“É com enorme pesar que recebo a notícia de que foram encontrados os restos mortais do indigenista Bruno Araújo e do jornalista Dom Phillips”, escreveu Pacheco no Twitter. “Em respeito às vítimas, à Amazônia e à liberdade de imprensa, espero que todos os criminosos envolvidos sejam punidos com o rigor da Lei.”

A confirmação das mortes veio após Amarildo Oliveira, conhecido como “Pelado”, preso por suspeita de participação no desaparecimento, confessar envolvimento no crime.

Leia mais: PF confirma que corpos de Dom Philips e Bruno Pereira foram encontrados: ‘crime brutal’

Superintende regional da Polícia Federal, Eduardo Alexandre Fontes disse que, conforme Pelado, Pereira e Phillips foram assassinados com arma de fogo.

Uma das hipóteses sob investigação é que os corpos tenham sido carbonizados antes de serem enterrados. Após serem levados pelo suspeito à área das buscas, a polícia encontrou os corpos, que foram levados à Atalaia do Norte.

Leia mais: ‘Foi um crime político’, diz Univaja após morte de Bruno Pereira e Dom Phillips

Na quarta-feira, o superintendente regional da PF afirmou em coletiva de imprensa que os investigadores levaram Pelado e Oseney da Costa de Oliveira, também suspeito de envolvimento no crime, para a área de buscas no rio Itaquaí, onde foram encontrados partes de corpos, classificados pela investigação como “remanescentes humanos”.

(*) Com informação da Agência Estado

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS