Manaus, 23 de junho de 2024
×
Manaus, 23 de junho de 2024

Cenário

Pauderney diz não entender por que perdeu o apoio do governador Wilson Lima

Pauderney assumiu, diante da imprensa amazonense, saber que o governador Wilson Lima tinha interesse em comandar o União Brasil. Mas preferiu se movimentar para tentar se garantir no cargo.

Pauderney diz não entender por que perdeu o apoio do governador Wilson Lima

Pauderney Avelino em coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (22) (Foto: Antônio Mendes/Portal AM1)

Manaus (AM) – O ex-deputado federal Pauderney Avelino disse, nesta segunda-feira (22), durante coletiva de imprensa, que o governador do Amazonas, Wilson Lima (UB), “tomou decisões” baseadas em torno de outras pessoas, que apoiaram a saída de Avelino do comando estadual do partido União Brasil.

A coletiva de imprensa ocorreu no diretório municipal do partido, localizado na rua Leonardo Malcher, bairro Centro, zona Sul de Manaus.

Na ocasião, ele comentou que, desde a sua saída do cargo de presidente da sigla, após decisão da Justiça, não foi procurado pelo governador.

Na última quarta (17), o Poder Judiciário, no Amazonas, derrubou os efeitos da convenção partidária que reconduziu Pauderney ao comando da sigla até abril de 2027.

Influenciado?

Questionado pelo Portal AM1 se sentia que havia sido traído por Wilson Lima, Pauderney apenas respondeu que “traído” é uma palavra muito forte.

“Não vou usar o termo traidor, porque é muito pesado; mas acredito que o governador tomou decisões ‘baseadas’ em outras pessoas. Não sei se ele mesmo queria isso”, disse.

Pauderney acredita que Wilson possa ter sido influenciado por terceiros.

O ex-deputado federal destacou, ainda, que não sabia da movimentação de que colegas de partido estavam fazendo nos bastidores para barrar sua recondução à presidência o partido.

Ele frisou também que não sabe por quais razões foi tirado do comando do partido, já que, segundo ele, nunca criou nenhuma “dificuldade” para o mandato de Wilson Lima.

“Sempre fiz tudo que o Wilson Lima pediu. Busquei fazer acordos com ele para – quem sabe – passar o comando do partido; mas não tive nenhuma resposta”, afirmou o ex-deputado à imprensa.

Pauderney sabia que Wilson tinha interesse em comandar o UB

No entanto, reconhece que o governador tinha interesse em comandar a sigla. Aos jornalistas, Pauderney informou que, ao assumir o cargo de secretário no governo, foi informado de que o mandatário iria assumir a presidência estadual da sigla e disse que não concordava com isso no momento, pois ainda não havia conversado com o governador a respeito.

Pauderney foi quem articulou a filiação do governador para o União Brasil, partido pelo qual Wilson disputou e venceu as Eleições Gerais em 2022. Antes, o governador era filiado ao PSC.

Com a ida para o União Brasil, Wilson conseguiu reunir o maior arco de aliança política da história do Amazonas; foi responsável por filiação em massa de prefeitos do interior à sigla e ajudou o partido a conquistar a maior representação na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), com seis cadeiras.

Nacional trata como irregular a reeleição de Pauderney

Durante a coletiva, Pauderney foi informado que a Executiva Nacional do União Brasil havia emitido uma nota em que seguia a decisão do diretório estadual.

“Ele comprou a versão apresentada pelas pessoas que entraram com a ação”, disse Pauderney, referindo-se a Luciano Bivar, presidente nacional do partido.

Em seguida, Pauderney demonstrou estar surpreso com a nota, já que, de acordo com ele, Bivar é seu amigo pessoal; encerrou a coletiva e deixou o local.

LEIA MAIS: