Romeiro Mendonça pretende gastar R$ 10,9 milhões com gasolina

US - R$ 4,38

×

Romeiro Mendonça pretende gastar R$ 10,9 milhões com gasolina

A informação foi publicada na última quinta-feira, 16, no Diário Oficial dos Municípios (DOM)

Prefeito Romeiro Mendonça foi cassado e governa a cidade por força de liminar. Foto: Reprodução

A Prefeitura de Presidente Figueiredo, a 128 quilômetros de Manaus, pretende gastar R$ 10,9 milhões na contratação da empresa A.S de Oliveira Comercio de Combustível para o fornecimento de derivados de petróleo: gasolina comum e óleo diesel, do tipo S-10.

Documento publicado no Diário Oficial dos Municípios (DOM)

A informação foi publicada nesta quinta-feira, 16, no Diário Oficial dos Municípios (DOM) e foi assinada pelo prefeito Romeiro Mendonça (PDT).

De acordo com o despacho de adjudicação e homologação do pregão presencial, o combustível servirá para o abastecimento da frota de veículos oficiais da prefeitura e das secretarias executivas do município.

Conforme informações do Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral do site da Receita Federal, a empresa vencedora da licitação tem sede no município de Carauari, distante a cerca de 827 quilômetros de Presidente Figueiredo.

presidente figueiredo combustível

Presidente Figueiredo

A cidade enfrenta sérios problemas de infraestrutura e saneamento básico. No mês de dezembro, durante o tempo em que esteve à frente da gestão, o presidente da Câmara Municipal da cidade, vereador Jonas Castro Ribeiro (PSB), à época como prefeito interino, decretou “estado de emergência administrativa”.

‘Veja também:

Presidente Figueiredo decreta ‘Estado de Emergência Administrativa’

Presidente Figueiredo decreta ‘Estado de Emergência Administrativa’

‘Lixão’ na selva mostra descaso da prefeitura de Presidente Figueiredo

Como justificativa, o vereador destacou a situação de calamidade na qual se encontrava a atual Secretaria de Saúde do município, além de problemas encontrados nas áreas de Educação e Assistência Social e precariedade na execução de serviços essenciais de limpeza.

Transporte

No último dia 9, o Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas instaurou um inquérito civil para investigar o transporte escolar do município.

O órgão visa apurar a ausência e/ou precariedade do serviço oferecido pelo Instituto Federal do Amazonas (Ifam), campus de Presidente Figueiredo.

Essa foi a segunda vez que o MPF-AM instaurou um inquérito civil sobre o transporte escolar de Presidente Figueiredo, em pouco mais de dois meses.

No primeiro, conforme reportagem do Amazonas1 publicada em novembro de 2019, o MPF apura as repercussões cíveis da prestação do serviço.

O transporte escolar na cidade também já foi alvo de protestos por centenas de alunos da rede municipal de ensino, que chegaram a relatar ao Amazonas1, em setembro do ano passado, que estavam com o ano letivo prejudicado por conta da falta da condução, que estava sem combustível.

 

Faça um comentário