Prefeitura de Maraã contrata serviços de “pequenos reparos” por R$ 4,1 milhões

Publicado em 18/08/2017 19:38
Prefeito do município, Luiz Magno Praciano Moraes (Foto: Reprodução/Internet)
Prefeito do município, Luiz Magno Praiano Moraes, chegou a ser preso no ano passado por suspeita de ser mandante de um assassinato. (Foto: Reprodução/Internet)

Da Redação – A Prefeitura Municipal de Maraã, município distante 635 quilômetros de Manaus, pagará R$ 4.187.693,98 as empresas Matias Pinheiro da Silva – EPP e M. de S. Celani – ME homologadas, no Diário Oficial dos Municípios do Amazonas, desta quarta-feira (16), como as vencedoras do processo licitatório na modalidade pregão presencial, destinado à eventual contratação de empresa para a realização de “pequenos reparos e manutenções prediais” conforme a necessidade da prefeitura do município. Somados, o capital social das empresas de natureza jurídica ‘empresário individual’ não ultrapassa R$ 200 mil.

Segundo o despacho de homologação nº 018/2017, assinado pelo prefeito Luiz Magno Praiano Moraes (PMDB), a empresa Matias Pinheiro da Silva – EPP foi a vencedora do primeiro lote da concorrência com o valor global fixado em R$ 2.136.602,88. Já a empresa M. de S. Celani – ME vencedora do segundo lote do pregão presencial deve receber pelos serviços prestados o valor global de R$ 2.051.091,10.

Criadas em outubro de 2016 e outubro de 2013, respectivamente, as empresas Matias Pinheiro da Silva – EPP e M. de S. Celani – ME têm como atividade econômica principal junto ao CNAE, o Comércio varejista de materiais de construção em geral e a Fabricação de estruturas metálicas, respectivamente.

O AMAZONAS1 entrou em contato com o representante de Maraã em Manaus, Orlando Barbosa para saber os tipos específicos de “pequenos reparos e manutenções prediais” previstos no contrato, mas o mesmo afirmou estar dirigindo e solicitou que a reportagem retornasse a ligação dentro de uma hora. Passado o intervalo de tempo, os dois números de Orlando estavam desligados.

Prisão

Eleito prefeito de Maraã no pleito de 2016, Luiz Magno Praiano Moraes chegou a ser preso em dezembro do ano passado, em cumprimento a um mandato de prisão preventiva, suspeito de ser o mandante do assassinato de Cícero Lopes da Silva, em fevereiro daquele ano. A vítima ocupava, na época, o cargo de prefeito do município e Luiz Magno, o de vice.

Cícero Lopes havia rompido politicamente com Luiz Magno, o que levou os familiares da vítima a suspeitarem da participação do vice-prefeito no crime. Os suspeitos Aldemir Alves de Freitas, Lázaro Moraes de Assis e Marcos Aleksandro Praiano da Silva, este último primo de Luiz Magno, foram presos em março do ano passado, por suspeita de cometerem o crime.

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS