MENU

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

‘Todos os presidentes sofreram alguma acusação’, diz Mourão sobre inquérito contra Bolsonaro

Como exemplo, Mourão citou o vice-presidente Michel Temer (MDB), que foi alvo de três denúncias por parte da PGR
Da Redação – Portal AM1*
• Publicado em 02 de julho de 2021 – 13:48
Foto: Agência Brasil

BRASÍLIA (DF) Diante da decisão da PGR (Procuradoria-Geral da República) de pedir ao STF (Supremo Tribunal Federal) a abertura de inquérito para apurar o suposto crime do presidente Jair Bolsonaro por prevaricação no caso da compra das vacinas Covaxin, o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) minimizou a situação.

“Todos os presidentes da República, se você for analisar, sofreram algum tipo de acusação”, disse Mourão, no início da tarde desta sexta-feira (2), na porta da Vice-Presidência da República.

Como exemplo, Mourão citou o vice-presidente Michel Temer (MDB), que foi alvo de três denúncias por parte da PGR. “Tem que aguardar os desdobramentos disso aí”, afirmou o vice-presidente.

A PGR decidiu abrir inquérito após pressão da ministra Rosa Weber, do STF. Inicialmente, a Procuradoria havia pedido para aguardar o fim da CPI da Covid para se manifestar sobre a necessidade ou não de investigar a atuação do chefe do Executivo neste caso. A ministra, que é relatora do caso, porém, rejeitou a solicitação e mandou a PGR se manifestar novamente sobre o caso.

Leia mais: Alexandre de Moraes abre inquérito contra filhos e apoiadores de Bolsonaro

A suspeita sobre a compra de vacinas veio à tona em torno da compra da vacina indiana Covaxin, quando a Folha revelou no último dia 18 o teor do depoimento sigiloso do servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda ao Ministério Público Federal, que relatou pressão “atípica” para liberar a importação da Covaxin.

Com a abertura do inquérito, caso venha a ser autorizado pelo Supremo, Bolsonaro passa a ser investigado oficialmente perante o Supremo pelo caso da Covaxin. Geralmente, nesse tipo de procedimento, a Polícia Federal e a PGR têm de pedir autorização do STF para realizar medidas investigativas.

Depois de finalizar a investigação, a PF produz um relatório, e a Procuradoria decide de denuncia os envolvidos ou se pede o arquivamento do inquérito.

Quando é caso de denúncia, o STF precisa definir se aceita a acusação e torna o investigado em réu. Caso siga essa linha, é aberta uma ação penal que, ao final, pode resultar ou não em condenação.

(*) Com informações da Folhapress

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap