'Arthur é um prefeito em decadência física e moral', dispara Rotta em ato de campanha - Amazonas1
26 de outubro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

‘Arthur é um prefeito em decadência física e moral’, dispara Rotta em ato de campanha

Rotta e David Almeida realizaram a primeira reunião de campanha neste domingo com candidatos a vereador dos partidos da coligação 'Avante Manaus'

‘Arthur é um prefeito em decadência física e moral’, dispara Rotta em ato de campanha
Foto: Marcos Rotta é vice na chapa de David Almeida nas eleições de 2020 pela Prefeitura de Manaus - Foto: Márcio Silva - Amazonas1

Ainda vice-prefeito de Manaus na administração de Arthur Neto (PSDB), Marcos Rotta disparou contra o prefeito tucano no primeiro ato de campanha ao lado de David Almeida (Avante) e classificou como “decadente” o fim da gestão do ex-aliado. “O prefeito está em decadência física e moral, sendo acusado, inclusive, de ocultação de cadáver”, disparou Rotta.

A forte declaração ocorreu na manhã deste domingo (27) no Olímpico Clube na primeira reunião de campanha realizada por Rotta e David Almeida com candidatos a vereadores do PV, PTC e PBM, que, junto aos partidos Avante, Pros, DEM e PRTB, formam a coligação “Avante Manaus”.

Questionado sobre suas declarações, Rotta afirmou que não fez qualquer acusação e sim “constatações”, ao mencionar, ainda que sem nomes, o caso do assassinado do engenheiro Flávio Rodrigues, morto no ano passado em circunstâncias nebulosas dentro da casa do enteado de Arthur Neto, o filho da primeira-dama, Elizabeth Valeiko, Alejandro Valeiko.

Leia mais: Caso Flávio: Arthur Neto é investigado por improbidade administrativa

“Ele que se entenda com a Justiça, já que está envolvido num escândalo muito grande que denigre e macula e apaga grande parte dos 40 anos que ele tem de vida pública. Eu não fiz nenhum tipo de acusação no meu discurso. O que eu fiz foram constatações. Sabemos que o Arthur está numa posição muito fragilizada. Inclusive com questões que o envolve em investigações, envolve improbidade administrativa, e a utilização de servidores em assassinatos, enfim, eu acho que isso acaba por macular a imagem dele”, afirmou Marcos Rotta.

Em entrevista ao Portal AM1, na última quinta-feira (24), o novo procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Estado (MPE-AM), Alberto Rodrigues, disse que assim que tomar posse reunirá com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), responsável pelo ‘Caso Flávio’ no âmbito do MP, para dar celeridade nas investigações.

Leia mais: Novo procurador-geral diz que MP dará celeridade no Caso Flávio

O último ato mais recente do MP colocou sob investigação o próprio Arthur Neto, por suposto ato de improbidade administrativa no uso de veículos oficiais e agentes públicos em benefício do seu enteado, Alejandro Valeiko, na noite do assassinato.

“O arthur permitiu deixar que corpos estranhos à administração ganhassem espaço e dessem as regras e as ordens tanto para ele quanto para o secretariado. E hoje, as pessoas sabem que quem dita as regras na prefeitura não é o prefeito de Manaus”, disse Rotta.

Artilharia

Enquanto David Almeida usa seus discursos para disparar contra Amazonino Mendes (Podemos) que aparece nas pesquisas de intenções de voto à frente de Almeida, Marcos Rotta parece ter sido escolhido para minar Arthur Neto, e de quebra, o governo Wilson Lima (PSC).

Rotta sustentou os argumentos de David Almeida, afirmando que Wilson Lima não atua nos bastidores como aliado e dando apoio à chapa.

Leia mais: ‘Amazonino é uma tragédia comprovada’, dispara David Almeida

“Foi a primeira coisa que eu e David discutimos para avançar numa composição. Não teríamos nem prefeito e nem governador do nosso lado, muito menos caciques. Vamos nos manter distante daquele que se travestiu de novo e passados dois anos não iniciou o próprio governo. A partir de janeiro, não iremos dever nada a cacique algum em nossa administração”, disse Rotta.

O curioso é que o ex-deputado federal Pauderney Avelino, presidente do DEM – partido de Rotta, foi uma espécie de ‘secretário de baixa patente’ e assumiu a representação do Governo do Amazonas em São Paulo,  em outubro do ano passado. Este, por sua vez,  largou o cargo após Rotta fechar chapa com David Almeida.

Leia mais: PSC libera filiados para apoiar qualquer candidato a prefeito de Manaus

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading