Gilmar Mendes diz que prefeituras do AM têm atuação do crime organizado

Publicado em 10/10/2017 14:35
O presidente do TSE se manifestou sobre a atuação do crime organizado no Brasil (TSE)

Coluna Cenário

A declaração do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pegou prefeitos do interior do Amazonas de surpresa no domingo, 8, quando o ministro afirmou, em entrevista ao Jornal O Globo, que o Estado – mais precisamente na calha do Rio Solimões – existem prefeituras com a ingerência do crime organizado. O ministro comentou o assunto em resposta à pergunta do jornal sobre qual seria “o maior risco de interferência do crime organizado nas próximas eleições (2018)”.

Veja a resposta do presidente do TSE na íntegra:

Nós acabamos com o sistema de financiamento (empresarial) descolado do sistema eleitoral. O ideal era que tivéssemos feito ajustes no sistema eleitoral, porque aí poderíamos adequar melhor o financiamento. Certamente, teremos um número elevado de candidatos, porque as coligações estão mantidas, e aí entra a questão do financiamento. Eu temo muito pelo financiamento das eleições por organizações as mais diversas, inclusive as criminosas. Já temos casos de países em que o crime financia as eleições, como o México. No Rio, temos o problema do tráfico, das milícias, que é notório. Para colocarmos urnas nas favelas precisamos de blindados da Marinha. Portanto, a liberdade do voto está fortemente ameaçada. Em São Paulo, já se fala que o PCC elegeu vereadores na Câmara da capital. No Amazonas, a calha do (rio) Solimões vem sendo utilizada pelos traficantes e se diz que algumas prefeituras foram tomadas por eles. No Maranhão, nós acompanhamos a situação de agiotas financiando as eleições, com dinheiro que viria do PCC. Tudo isso é preocupante e não podemos querer que o quadro da política no Brasil, que já não é exemplar, se torne ainda pior”.

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS