Justiça arquiva denúncia de fraude contra ex-diretora do Manausprev | | Amazonas1

US - R$ 5,10

×

Justiça arquiva denúncia de fraude contra ex-diretora do Manausprev

Foto: Arquivo/Internet

Da Redação

A Justiça Federal determinou o arquivamento das investigações contra a ex-diretora do Fundo Único de Previdência do Município de Manaus (Manausprev) Danielle Vasconcelos Correia Lima Leitev que estava sendo investigada por gestão fraudulenta, no âmbito da Operação Miquéias, da Polícia Federal.

A justificativa é que já existe investigação mais avançada sobre os mesmos fatos em relação aos investigados no Supremo Tribunal Federal (STF) – por meio do Inquérito Policial IPL428/213 – e que manter o inquérito em andamento no Amazonas geraria duplicidade de investigação.

Danielle, que é mulher do deputado estadual Sidney Leite, foi diretora-presidente do Manausprev, durante a gestão de Amazonino Mendes a frente da Prefeitura de Manaus, entre 2009 e 212. Como gestora, ela foi investigada por aplicar R$ 33 milhões do fundo de pensão de Manaus nos bancos BVA e Rural e perder após os bancos serem liquidados pelo Banco Central.

Sidney Leite é cotado para assumir em outubro a Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), no governo de Amazonino Mendes (PDT), cargo que já exerceu durante dois durante o governo de José Melo (Pros), cassado em maio deste ano por compra de votos.

Operação Miqueias

A Operação Miquéia, realizada pela Polícia Federal em nove estados, desarticulou duas organizações criminosas acusadas de lavagem de dinheiro e de má gestão de recursos de fundos de pensão de municípios, entre eles o do Manausprev, hoje Manaus Providência. De acordo com a PF, a lavagem de dinheiro ocorria por meio da utilização de contas bancárias de empresas de fachada ou fantasmas, abertas em nome de “laranjas” para ocultar os responsáveis pelas movimentações. 

Faça um comentário