‘Terrivelmente evangélico’, Mendonça pede que Planalto explique sigilo em reuniões com pastores

O Planalto colocou um sigilo de 100 anos sobre informações relacionadas a reuniões e visitas de pastores com Bolsonaro
Da Redação – Portal AM1
Publicado em 02/06/2022 13:40
Foto: Alan Santos/PR

Brasília – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça, deu o prazo de 10 dias para a Presidência da República explicar o motivo do sigilo de 100 anos imposto sobre informações relacionadas a reuniões e visitas de pastores no Palácio do Planalto.

De acordo com a decisão do relator, a Advocacia-Geral da União (AGU) e a Procuradoria-Geral da União (PGR) ainda precisam enviar manifestações em 5 dias. O caso será enviado diretamente ao plenário do STF.

Leia mais: Collor pode se candidatar ao governo alagoano e dar palanque a Bolsonaro

O partido PSB argumentou que o sigilo “burla o mandamento constitucional da publicidade dos atos da administração pública”. O partido ainda pede a declaração de inconstitucionalidade da medida e a cassação de qualquer sigilo sem conformidade com a Constituição.

“Determinar à Presidência da República que se abstenha de mobilizar a norma excepcional de sigilo para proteção estratégica eleitoreira, de campanha ou que não evidencie qualquer interesse público quando da proteção e sigilo às visitas recebidas nas instalações dos edifícios pertencentes à Presidência da República”, diz um trecho da ação.

(*) Com informações do Uol

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS