Manaus, 22 de fevereiro de 2024
×
Manaus, 22 de fevereiro de 2024

Coluna AM1

Advogada que aposentou promotor pode aposentar conselheiro do TCE-AM

Confira a coluna de política do Portal Amazonas1 publicada nesta sexta-feira (6). Curta, compartilhe e faça parte da nossa Lista de Transmissão de notícias no WhatsApp.

Advogada que aposentou promotor pode aposentar conselheiro do TCE-AM

Baixo nível

A disputa pelo poder no Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) tem dado o que falar e, pasmem, não é só na periferia que rola baixaria; pelo contrário, os melhores barracos envolvem gente da elite. Exemplo disso é a conselheira Yara Lins, eleita recentemente presidente da Corte, que alega ter sido chamada de “puta, vadia e safada” pelo conselheiro Ari Moutinho.

Cheiro de aposentadoria

Ari que se cuide, porque no rastro dele está a advogada Catharina Estrella. Sim, a advogada, que há três semanas, foi comparada a uma cadela pelo então promotor de Justiça Walber Nascimento – hoje aposentado. A pressão foi tão grande e negativa para a imagem do promotor, que ele acabou aposentado. Será que o mesmo vai acontecer com Ari Moutinho?

Machismo estrutural

Será que se Ari Moutinho tivesse ganhado a eleição para a presidência da Corte, ele teria sofrido uma retaliação tal qual a sofrida por Yara Lins? Provavelmente não. Mas, como foi uma mulher que conseguiu ser eleita por uma maioria absoluta dos votos (5×2), ela tem de ser xingada de todas as coisas? Aplausos para a conselheira, que não se deixou intimidar, não quis ficar escondida em um canto para chorar, colocou a cara na mídia e expôs os ataques.

Eu não sei de nada

O curioso nessa história toda é que o presidente do TCE-AM, conselheiro Érico Desterro, diz que não foi acionado sobre a briga entre Yara Lins e Ari Moutinho. Desterro deixará o comando da Corte em dezembro quando sucederá a posse da nova presidente eleita, Yara Lins. Ari Moutinho, por sua vez, disse que as acusações de Yara Lins são uma tentativa de puni-lo injustamente por ter anulado o voto durante a eleições na qual Yara saiu vitoriosa. Por fim, o conselheiro promete tomar medidas judiciais para se defender.

Palanque eleitoral

A ex-candidata a deputada federal no Amazonas pelo partido Rede Sustentabilidade, Vanda Witoto, saiu em defesa da colega de partido e ministra do Clima e Meio Ambiente, Marina Silva, após a classe política amazonense a pressionar para que sejam autorizadas as obras da BR-319. Para Wanda, a rodovia é, hoje, o principal palanque eleitoral dos pseudodefensores do “progresso” no Amazonas.

Ataques a uma mulher

Vanda lista que o senador Omar Aziz (PSD) esbraveja, o governador Wilson Lima (UB) engrossa a voz e o deputado Sinésio Campos (PT) aponta o dedo na direção de uma mulher. E ela própria dispara: “[..] não fizeram isso quando o ministro era um homem, Ricardo Salles, condenado por crimes ambientais.

‘Garoto de recados’

O deputado federal Amom Mandel (Cidadania) não gostou nem um pouco das críticas que o subsecretário de administração de Manaus, Junior Nunes, faz sobre as árvores que plantou durante o mandato como vereador. Júnior disse que todas as árvores plantadas por Amom morreram. “Parece que era só para fazer migué e gravar vídeos”, disparou o subsecretário. Amom cuidou de rebater: “Além de não fazerem nada para ajudar na questão das queimadas e da fumaça, a Prefeitura mandou um subsecretário como garoto de recados pra reclamar das árvores que plantamos no projeto @galhoforte.

Desentendido

Depois da repercussão das críticas à floresta do Amom, Junior Nunes disse ao Portal AM1 que não criticou o plantio de árvores; e sim o pós-plantio, pois segundo ele, todas as árvores morreram. Subsecretário, assim o senhor se complica. Diante da crise, é melhor ficar calado e esperar a fumaça baixar, porque enquanto você está brigando por quem planta ou deixa de plantar árvores, milhares estão queimando. Inclusive, sua Prefeitura cuidou de desmatar 56 árvores da avenida Efigênio Salles.

Estiagem

Em 85 dias, o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) atuou no combate a 1.677 incêndios no período de 12 de julho a 4 de outubro. Desse total, 1.106 foram em municípios do interior e outros 571 na capital. Atualmente, o Amazonas tem 40 municípios em situação de emergência ambiental, 19 em alerta, um em atenção e apenas dois em normalidade.

Reforço

O governo estadual recebeu mais duas aeronaves vindas do Mato Grosso do Sul e do Distrito Federal, respectivamente, que vão intensificar as ações realizadas pelo CBMAM no combate aos focos de queimadas na Região Metropolitana de Manaus. Ao todo, a corporação, agora, contará com suporte técnico de quatro aeronaves.

Leia mais no Portal Amazonas1

Amazonas1

FALE CONOSCO

Isac Sharlon (editor-chefe)
(92) 99169-4681

Fale com o comercial
(92) 9425-5668

Faça parte da nossa Lista de Transmissão e receba as principais notícias no seu WhatsApp.
Clique no link https://l1nk.dev/adPJI