MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Coari: Mayara Pinheiro pede R$ 40 mil de radialista por ofensas

A defesa diz no processo que sua cliente entende ter sido chamada de 'quenga' pelo radialista que usou a expressão 'queima quengaral' em publicação
Hellen Miranda – Portal AM1
• Publicado em 19 de agosto de 2021 – 11:47
Foto: Divulgação

COARI,AM- A deputada estadual Mayara Pinheiro (PP) acionou a Justiça do Amazonas contra o radialista Raione Cabral Queiroz, um dos principais opositores políticos da Família Pinheiro, no município de Coari. A parlamentar alega que vem sofrendo diversos ataques do profissional nas redes sociais e pede indenização de R$ 40 mil.

Entre eles, a defesa de Mayara cita que o Raione divulgou fake news ao publicar que o gabinete da parlamentar, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), teria sido alvo de busca e apreensão, cuja iniciativa teria partido do Ministério Público do Amazonas (MP-AM).

“Contudo, tanto quanto a interessada, o Parquet Amazonense tem conhecimento de que esta assertiva é mentirosa. Em tese, além de ter praticado o crime de injúria qualificada, o representado, por ter compartilhado uma postagem de uma página da rede social Instagran denominada de “citeimanaus” com o mesmo conteúdo, também incidiu no crime de difamação e injúria”, diz trecho da peça.

Leia mais: Na folha de Coari sem trabalhar, marido de Mayara Pinheiro tem pagamento suspenso

O advogado também destaca no processo uma postagem em que sua cliente entende ter sido chamada de “quenga” pelo radialista que usou a expressão “queima, quengaral”, acima de um texto publicado na rede social.

“Conforme consta na postagem ao norte, o representado colocou os dizeres “queima, quengaral”. Ou seja, não conformado em injuriar e difamar a representante, através de postagem com conteúdo inverídico, o representado ainda chamou a vítima de “quenga”, expressão comumente usada no norte e nordeste do país para identificar mulher que faz sexo em troca de dinheiro, ou seja, prostituta”, argumentou.

Além disso, segundo a defesa, os ataques de Raione não se limitam à atuação de Mayara Pinheiro como parlamentar, mas alcançam sua família. O documento menciona que o radialista compartilhou foto em que a deputada aparece com seu esposo e sua filha, esta ainda no ventre.

“Nem o momento mais sublime de uma família, qual seja a divina expectativa de “dar à luz a um filho”, é respeitado pelo representado, vez que este compartilhou uma foto de família para fazer comentários levianos, com o firme propósito, salvo melhor juízo, de expor ao ridículo não só a representante, bem como seu esposo e sua filha, ferindo-lhe, dolosamente, por intermédio de mensagem subliminar, também, sua honra e boa-fama”, completou.

Em outro trecho, o advogado da parlamentar levantou ainda a hipótese de que os ataques vêm ocorrendo a pedido de terceiros, os quais chamou de “superior hierárquico”. Raione Queiroz é aliado de Robson Tiradentes, adversário do ex-prefeito de Coari, Adail Filho (PP), nas eleições municipais do ano passado

A dupla conseguiu na Justiça Eleitoral a cassação do mandato do irmão de Mayara. Desde então, a vereadora Dulce Menezes (MDB) assumiu interinamente a Prefeitura de Coari. Ela é tia de Adail Filho e Mayara Pinheiro e também vem sendo alvo de denúncias do radialista.

Leia mais: Festa de aniversário de 89 anos de Coari é denunciada por indícios de irregularidades

“Continuando a saga de assassinar a reputação da representante a qualquer custo, possivelmente seguindo ordem de seu superior hierárquico, o representado classificou a representante e sua família de mafiosos, como se fossem criminosos e, se não bastasse, da mais alta periculosidade”, escreveu o advogado.

Para a defesa da deputada, as postagens “extrapolam” o direito de livre expressão, “passando a atacar de forma desarrazoada e porque não dizer ilegal a vida profissional e pessoal da representante, quiçá sob o pretexto vil e rasteiro de auferir vantagem para o seu grupo político”.

Pedidos

Nos pedidos, a defesa requer a condenação do representado ao pagamento do valor de R$ 10 mil por postagem criminosa e a retirada imediata de todas as publicações das redes sociais que façam referência à deputada Mayara., sob pena de responder criminalmente pelo crime de desobediência.

Também pede que como medida cautelar diversa da prisão, conforme disposto no art. 319, II, da Lei Adjetiva Penal, para evitar a prática de novas infrações, deve o representado ser proibido de acessar as redes sociais ou, alternativamente, fazer postagens que façam qualquer referência à vítima, até elogios, sob pena de lhe ser decretada a prisão preventiva, conforme disposto no art. 312 do Código de Processo Penal.

Reação

Após tomar conhecimento do processo movido pela deputada Mayara Pinheiro, o radialista Raione Queiroz usou as redes sociais para ironizar o pedido de indenização. Na postagem, ele diz que basta a parlamentar “exonerar as duas ex-madrastas do seu gabinete, que vai sobrar R$ 40 mil por mês.”

Leia mais: TCE vai apurar denúncia de funcionários fantasmas no gabinete da deputada Mayara Pinheiro




Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap