David Almeida deve ter mais de 80% dos vereadores da Câmara na sua base - Amazonas1
14 de abril de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

David Almeida deve ter mais de 80% dos vereadores da Câmara na sua base

Construção da base do prefeito eleito já começou a se configurar e deve ter, inclusive, vereadores de partidos adversários na campanha

David Almeida deve ter mais de 80% dos vereadores da Câmara na sua base
Foto: Avante Amazonas

O prefeito eleito David Almeida (Avante) não terá dificuldades para conseguir a aprovação dos seus projetos na Câmara Municipal de Manaus (CMM), visto que ele já conta com mais de 80% dos vereadores em sua base aliada. Dos 41 parlamentares, apenas sete devem, talvez, fazer oposição ou ficar avulsos no Legislativo Municipal.

Essa base aliada é composta por 34 vereadores, atualmente, com David tendo do seu lado quase todas as maiores bancadas do parlamento. Aliás, o Avante, seu partido, possui uma das maiores bancadas eleitas, formada por quatro parlamentares.

Leia mais: ‘Isso é um assunto da Câmara Municipal’, diz David sobre disputa pela presidência

São eles: David Reis (Avante); Wanderley Monteiro (Avante); Dr. Eduardo Assis (Avante) e Lissandro Breval (Avante).

David ainda contará com mais seis vereadores eleitos pelos demais partidos de sua coligação. Sendo eles: Elan Alencar (Pros) e Wallace Oliveira (Pros); Fransuá Matos (PV); Peixoto (PTC); Sandro Maia (DEM) e Yomara Lins (PRTB). Essa última depende da orientação de sua família, o que provavelmente ocorrerá, uma vez que os Lins têm no histórico o perfil de se manterem governistas.

Leia mais: Dinastia da Família Lins se multiplica nos Poderes Públicos do AM

Além do Avante, o PSC também formará a maior bancada na CMM, com quatro vereadores.

Os membros do partido aderiram à campanha de David no 2º turno, tendo Rodrigo Guedes, Caio André, Dr. Daniel Vasconcelos e Allan Campêlo, como os vereadores eleitos.

Leia mais: ‘Eu quero ser o prefeito de todos’, diz David Almeida após vencer eleição 2020

Aliados no 2º turno

A base do prefeito ficou ainda mais forte com o apoio recebido de candidatos a prefeito derrotados no 1º turno e de outros vereadores eleitos. Um exemplo disso é a parceria firmada com o deputado federal Alberto Neto (Republicanos) e Orsine Júnior (PMN), que tiveram sua chapa para prefeito e vice derrotada no 1º turno, e que juntos levaram seis parlamentares para a base de David Almeida: três do Republicanos e mais três do PMN.

Foram eleitos pelo Republicanos os seguintes vereadores: João Carlos, Capitão Carpê Andrade, Marcio Tavares e pelo PMN: Kennedy, Rosinaldo Bual e Eduardo Alfaia.

Leia mais: Joelson Silva declara apoio a David Almeida durante culto

David também deve contar com os três vereadores eleitos pelo Patriota: Dione Carvalho, Ivo Neto e, principalmente, o vereador Joelson Silva – atual presidente da CMM.

Os dois vereadores eleitos pelo PL (Professor Samuel e Glória Carrate), que têm o perfil de se aliar com o Chefe do Executivo, mais os dois do PTB (Luis Mitoso e Jander Lobato), Raiff Santos (DC), Marcelo Serafim (PSB) e Bessa (SD) fortalecem a base de David Almeida na Câmara Municipal.

A base também já conta com os vereadores Jaildo dos Rodoviários (PCdoB), Sassá da Construção Civil (PT), Diego Afonso (PSL) e Everton Assis (PSL). Esses dois últimos que estavam na coligação de Amazonino Mendes, já mudaram de lado.

Oposição deve enfraquecer

A oposição que David Almeida pode enfrentar na CMM deve ser de alguns dos vereadores que foram eleitos pela coligação de Amazonino Mendes (Podemos). Os três eleitos pelo Podemos, são eles: Professora Jacqueline, Amon e Marcel Alexandrem além de William Alemão (Cidadania).

Amazonino ainda contou com o apoio do PSDB, no 2º turno, que conseguiu manter os vereadores Rosivaldo Cordovil e Raulzinho e que também podem fazer oposição ao prefeito eleito.

Leia mais: ‘Portas abertas para trabalhar por Manaus’, diz Wilson para David

Contudo, levando em consideração o histórico de alguns desses vereadores, é bem difícil de imaginar que se mantenham como oposição, como os vereadores Marcel Alexandre, Rosivaldo Cordovil e Professora Jacqueline. Esses três, geralmente, caminham com o prefeito para dar andamento aos seus projetos políticos na cidade.

Já William Alemão, o polêmico empresário de Manaus, deve ter uma atuação mais avulsa na CMM nos primeiros meses de parlamento, sem fidelidade ao partido. Quem também ficará “livre” é Thaysa Lippy (PP), que ainda definirá entre seguir o que determinará o partido e a orientação dada pelo pai, o deputado Felipe Souza (Patriota).

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]