'A culpa caiu para o governo', diz Wilson sobre pagamento dos terceirizados

US - R$ 4,18

×

‘A culpa caiu para o governo’, diz Wilson sobre pagamento dos terceirizados

Segundo Wilson, algumas empresas da área da saúde foram pagas no decorrer do ano, porém os empresários não repassaram para seus funcionários

Na sua live semanal nas redes sociais na noite desta quinta-feira, 21, o governador do estado Wilson Lima (PSC) disse que este ano algumas empresas da área de saúde foram pagas pelo governo, porém não houve repasse aos devidos servidores atuantes da mão de obra terceirizada. O governador afirma que a culpa dos atrasos  caiu indevidamente ao Estado.

Querendo esclarecer o “ruído” na comunicação sobre o pagamento dos enfermeiros, técnicos de enfermagem e maqueiros terceirizados, Wilson informou que algumas empresas da área da saúde foram pagas no decorrer do ano, porém os empresários não repassaram para seus funcionários. 

“Algumas empresas da área de saúde nós pagamos e essas empresas acabaram não repassando para os servidores. A culpa acabou recaindo para o governo do estado. E eu entendo que a pessoa que trabalha, principalmente aquela atuando na área da saúde, ela tem que ter seu devido reconhecimento”, disse Wilson em trecho do vídeo.

Após mais de cinco meses sem receber seus salários e realizarem inúmeros protestos solicitando esses repasses os terceirizados junto ao Sindicado dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde (Sindpriv), realizaram um acordo com o governo para que fosse pago todo o valor do piso salarial  diretamente ao trabalhador, inicialmente referente aos meses de outubro e novembro de 2019.

De acordo com declaração das empresas terceirizadas contratadas pelo governo ao Amazonas1, os contratos com atraso de pagamento vêm desde os governos anteriores, e mesmo com o governo atual tendo ciência do caso, afirma que não vai pagar.

Promessa

Querendo cumprir sua promessa, Wilson disse que no ano de 2020 pretende convocar os aprovados no concurso do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), e da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) ocorridos neste ano, dependendo do decorrer da  adequação à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Com o recadastramento do servidor público e a análise de conformidade da folha de pagamento, que será feito em janeiro de 2020, sendo uma das medidas de ajustes financeiros para o governo, declarado na live, Lima espera que ocorra uma queda no percentual de gasto para LDF com o “pessoal”, onde se referiu ao funcionalismo, reforçando a Lei Complementar 198, de 15 de julho deste ano, aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas(ALE-AM).

Estresses?

Ao ser questionado por uma seguidora que acompanhava sua transmissão ao vivo, sobre o motivo da sua barba estar grande o governador disse:

“Eu não tirei esses dias para descansar um pouco a pele, e já  apareceu uma barba bem branca e alguns cabelos brancos a mais, bem diferente de primeiro de janeiro de 2019”, se referendo a data de início de seu mandato dando a entender que tem enfrentado bastante problemas e estresse. 

Privatização

Wilson comentou sobre sua ida a solenidade em comemoração aos 50 anos da Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama) e reforçou seu desejo, desde o início de seu mandato, em privatizar o órgão e espera a organização do presidente Armando Silva do Valle para seu desejo.

Para o governador, mesmo a Cosama tendo um histórico não totalmente positivo, sendo atribuída à comentários pejorativos, ela é um dos instrumentos mais fortes que o Governo tem para melhorar a qualidade de vida para as pessoas principalmente no interior. 

Faça um comentário