Hang combinou de encontrar Renan após CPI da Covid para falar de negócios

Empresário quer abrir lojas da Havan, sua empresa, em Alagoas, estado que Renan representa no Senado e que é governado por seu filho
Publicado em 23/10/2021 20:28
Hang
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

BRASÍLIA, DF – O empresário Luciano Hang marcou de encontrar o senador Renan Calheiros (MDB-AL) após o término da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia no Senado. A informação foi confirmada pelo próprio senador.

Segundo o relator da CPI, o empresário quer investir no estado de Alagoas, abrindo lojas de sua empresa, a Havan. O estado é representado por Calheiros no Senado e é governado pelo filho do senador, Renan Filho.

O último encontro público entre Calheiros e Hang não foi nada amistoso. Ele aconteceu na própria CPI da Pandemia no Senado, em 29 de setembro de 2021. Na ocasião, o empresário foi questionado pelo senador sobre suas relações com o chamado “gabinete paralelo”, que procurou formas de tratamento alternativas à covid-19 no auge da pandemia.

Leia mais: Luciano Hang pode ganhar título amazonense na Assembleia Legislativa

Ainda na CPI, o empresário foi questionado sobre a morte de sua mãe, Regina Hang, no Hospital Sancta Maggiore, em São Paulo, operado pelo plano de saúde Prevent Sênior. A mãe de Hang morreu devido a complicações da covid-19, mas em seu atestado de óbito, não constava a doença como causa mortis.

“O atestado de óbito foi feito por um plantonista, e corrigido no dia seguinte. Não vejo o interesse do hospital de mentir sobre a morte de minha mãe. Qual era o motivo, se eu já havia dito publicamente que era estava internada e estava com covid? Ainda fiz uma live explicando e lamentando o fato de ela não ter feito o tratamento preventivo”, lamentou.

Além disso, em seu relatório final, Renan Calheiros pediu o indiciamento de Luciano Hang pelo crime de incitação ao crime. Segundo o parlamentar, Hang teria espalhado notícias falsas sobre tratamento precoce, vacinas e a condução do governo diante da crise do novo coronavírus.

(*) Com informações da Veja.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS